Mostrando postagens com marcador BIBLIA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador BIBLIA. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

DIA DA BÍBLIA - PARTE 1

     Neste segundo domingo de dezembro, comemora-se em todo o Brasil o DIA DA BÍBLIA.
     A Bíblia foi e ainda é um livro polêmico. Cada pessoa, ou grupo de pessoas, interpreta a Bíblia de um jeito diferente. Cristãos já tentaram proibir o ensino da Teoria da Evolução nas escolas americanas, invocando a Bíblia. Existe quem defenda o retorno da escravidão e o apedrejamento de adúlteros, invocando a Bíblia. Para outros, a Bíblia é somente um relato da caminhada do homem em busca de Deus.
     A Bíblia trata da criação do mundo, das alianças de Deus com os homens, da história de Israel e da Igreja, e da profecias sobre o futuro; então, ela pode ser resumida numa só frase:

ela é a Palavra de Deus. Em toda a Bíblia, fala-se 2008 vezes que Deus é o seu Autor. Ela se apresenta como alimento, fogo, luz, leite, mel, ouro, espelho, martelo que esfarela a pedra, como espada e como semente.
     A Bíblia é composta duas partes, Antigo e Novo Testamento, num total de 66 livros na versão protestante, livros que foram escritos por cerca de 40 pessoas diferentes, durante um período de 1600 anos. Como a maioria dos escritores da Bíblia não se conhecia, é extraordinário que ela forme uma coisa só, unida num único personagem: Jesus Cristo.
     A Bíblia foi escrita a mão por muitos séculos, mas com a invenção da imprensa foi o primeiro livro a ser feito, a famosa Bíblia de Gutemberg, e hoje em dia existe em mais de 300 línguas diferentes, do português ao japonês. Todos os anos são publicadas cerca de 11 milhões de Bíblias completas e 14 milhões só do Novo Testamento. As Sociedades Bíblicas no mundo inteiro tem trabalhado muito para que a Palavra de Deus chegue às pessoas. 
      Este trabalho foi iniciado por causa de uma humilde menina inglesa chamada Mary Jones, que depois de economizar por 6 anos, caminhou 25 quilômetros até a cidade para comprar uma Bíblia, mas ao chegar na loja as duas últimas já haviam sido vendidas. A menina começou a chorar inconsolavelmente, pois todo seu esforço não tinha valido nada. O comerciante, sensibilizado, decidiu então vender uma das Bíblias para ela, que pegou o livro sagrado, abraçou contra o peito e caminhou feliz da vida para sua cidade. Os líderes evangélicos daquela época, sensibilizados com tais situações, decidiram fundar a Sociedade Bíblica Britânica, com a missão de espalhar Bíblias a baixo custo por todo o mundo. O trabalho se multiplicou, tanto que a Sociedade Bíblicado Brasil completou em 2010 seus 62 anos de fundação.
     Os séculos se passaram, e a Bíblia continua cada vez mais popular. Hoje, existem Bíblias de todas as cores, formas e jeitos. Bíblias de Estudo Pentecostal, Sheed, Scofield, Aplicação Pessoal, do Estudante, do Jovem do Adolescente, Edição de Promessas, entre tantas outras.
     Tudo isso nos deixa bem claro que a Bíblia não é um livro como os outros. Nunca um livro foi tão perseguido e tão celebrado ao mesmo tempo. Nunca um livro foi tão amado e tão odiado de uma vez só. Montanhas de Bíblias já foram queimadas em praça pública, às vezes com cristãos junto. Mas também, vários monumentos à Bíblia foram erguidos em praça pública. Reis, imperadores, sábios, poderosos, já se levantaram contra a Bíblia: todos fracassaram miseravelmente. Muitos que falavam contra a Bíblia foram enterrados com uma Bíblia no túmulo. Por exemplo, o filósofo francês Voltaire pregava que dentro de 100 anos o Cristianismo deixaria de existir e a Bíblia não seria mais lida pelas pessoas, mas depois de sua morte, a casa de Voltaire na Suíça foi transformada num depósito de Bíblias.
     Mas afinal, que livro é este ? Qual a fonte desse poder tão grandioso, que não existe quem fique indiferente à sua mensagem ?
     Uma pessoa que ouça a leitura da Bíblia poderá ficar melhor ou pior, mas nunca do mesmo jeito. 
     Um menino chinês chamado Wung Fu certa vez começou a ler a Bíblia. Seus colegas e professores notaram que ele começou a se comportar de maneira diferente, até que uma professora lhe perguntou: “o que há com você ? não mente mais, não briga com os colegas como antes, não preciso ficar te repreendendo nem te castigando, o que está acontecendo ?”. E o menino respondeu: “é simples, professora, estou lendo a Bíblia”.