quarta-feira, 8 de novembro de 2017

COMO CONSERVAR CORPO, ALMA E ESPÍRITO IRREPREENSÍVEIS ?

1 – Obedecendo a sã doutrina ensinada pelos líderes espirituais que Deus coloca à frente do rebanho.
Manda, pois, estas coisas, para que elas sejam irrepreensíveis.1 Timóteo 5:7

domingo, 5 de novembro de 2017

JESUS, O PREGADOR DOS INFERNOS

Será que em todos esses textos, Jesus queria dizer que o inferno/tormento eterno era apenas uma metáfora, uma alegoria, um eufemismo para a sepultura ?


sábado, 4 de novembro de 2017

POR QUE NÃO ACEITAR A PREDESTINAÇÃO CALVINISTA

“Imaginemos, por exemplo, um mercador que, havendo entrado em uma zona de mata com um grupo de homens de confiança, imprudentemente se desgarre dos companheiros, em seu próprio divagar seja levado a um covil de salteadores, caia nas mãos dos ladrões, tenha o pescoço cortado. Sua morte fora não meramente antevista pelo olho de Deus, mas, além disso, é estabelecida por seu decreto” [CALVINO, Institutas, 1.16.9.]

PARAFRASEANDO CALVINO – Imaginemos, por exemplo, uma criancinha Síria que, havendo entrado em uma embarcação junto com seus pais, fugindo dos horrores da guerra em seu país, caia nas mãos de traficantes de pessoas, levados a um naufrágio trágico, e seu corpinho e de toda sua família são encontrados mortos na praia. Deus não somente viu isso antes, mas sim, determinou que isso aconteceria.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Milhares de pastores de todo Brasil sairão da CGADB para criar uma nova convenção da Assembleia de Deus

Um gigantesco movimento iniciado por diversos pastores de várias regiões do Brasil ganhou corpo e vem se fortalecendo e crescendo rapidamente. Hoje correu uma notícia em diversos grupos de pastores em redes sociais de todo Brasil, informando que uma nova convenção está surgindo, e que esse movimento é independente. 

Mas essa insatisfação generalizada tem uma motivação bem sólida: os sucessivos escândalos provocados pela atual administração que está à frente da maior convenção de pastores do Brasil: a CGADB - Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil. 

GNOSTICISMO

Movimento filosófico grego que ensinava, entre outras coisas:

1 - tinham conhecimentos secretos que os tornavam superiores aos demais cristãos (qualquer semelhança com a maçonaria e com os evangélicos místicos que alegam ter revelação especial de Deus...não é mera coincidência).

2 - Deus criou um mundo espiritual BOM, mas um de seus auxiliares criou o mundo material MAU (ou seja, coloca Satanás como autor da criação).

3 - Cristo é um dentre muitos espíritos de Deus, que veio ensinar um conhecimento superior secreto. 

4 - Cristo parecia ser humano, mas nunca assumiu um corpo físico.

O gnosticismo deu trabalho aos apóstolos, várias cartas pastorais e o evangelho de João procurado combater essa heresia. Mas o grande embate foi no 2º século, tendo os pais da Igreja por nome Irineu, Tertuliano e Hipólito escrito muita coisa contra esses falsos ensinos.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

SONO DA ALMA ESTÁ NA BÍBLIA ?

Ec 9.5: Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco têm eles daí em diante recompensa; porque a memória ficou entregue ao esquecimento.


Seria esta a prova de que, quando morremos, nossa alma fica em ESTADO DE ANIMAÇÃO SUSPENSA ESPIRITUAL até o dia do Juízo ?



Aparentemente sim, se esquecermos o contexto do capítulo e de todo o livro de Eclesiastes.



Esse livro NÃO RETRATA O PONTO DE VISTA DDE DEUS, e sim o de um homem idoso, que experimentou tudo que a vida pode oferecer, e concluiu que nada disso satisfaz a alma. Sim, ele mesmo, Salomão.



Portanto, Eclesiastes 9.5 não são palavras de Deus, mas sim, a conclusão humana sobre a vida. Sendo assim, não serve de base para justificar o ensino errôneo (heresia) do SONO DA ALMA.


terça-feira, 31 de outubro de 2017

REFORMA PROTESTANTE - 5 SÉCULOS DE CAMINHADA

500 anos atrás eram as INDULGÊNCIAS....hoje são os PROPÓSITOS e OFERTAS DE SACRIFÍCIO...
500 anos atrás era a "mãe de Deus"...hoje é o "homem de Deus"...
500 anos atrás eram os 7 pecados capitais, hoje são usos e costumes...

500 anos atrás os inimigos eram muçulmanos, hoje são a militância LGBT e os desigrejados.
500 anos atrás o clero inquisidor lançava nas fogueiras, hoje lança no ostracismo.
A única coisa que não mudou nesses 500 anos ...
...É que CASTELO FORTE É O NOSSO DEUS 

domingo, 20 de agosto de 2017

QUE CORPO É ESTE ?

A lição de hoje da EBD (http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2017/2017-03-08.htm) mostra a Igreja como um corpo, cuja cabeça é Cristo.


Na época em que o Apóstolo Paulo escreveu isso, claro que não tinha o avanço da microscopia de hoje.


domingo, 23 de julho de 2017

A GRANDE TENTAÇÃO DE CRISTO

Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer- se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.   (Hebreus 4.15)

Que tipo de tentações Jesus teve ?

quinta-feira, 20 de julho de 2017

BUSCAI-ME E VIVEI

A Bíblia nos conta que, em certa época da história do povo de Israel, ele estavam adorando outros deuses, apesar de Deus ter alertado aquelas pessoas que isso era um grande pecado, pois DEUS abomina toda forma de idolatria.

QUEM ERA O CULPADO POR ESSA APOSTASIA DO POVO ?

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Parecer da SBB Sobre a Polêmica em Torno do Nome de Jesus

Observe-se inicialmente que não tem cabimento a afirmativa de que o nome Jesus é de origem grega e não hebraica.

Esse nome, transliterado para o grego como Iesous, é hebraico e vem de Yeshua” (as aspas representam a letra ayin).

A forma plena da palavra é Yehoshua, que, a partir do Cativeiro babilônico, passou a dar lugar, geralmente, à forma abreviada Yeshua”.

Até o começo do segundo século d.C. Iesous (Yeshua”) era um nome muito comum entre os judeus. Na Septuaginta, versão do Antigo Testamento que os judeus fizeram entre os anos 285 e 150 a.C., do hebraico para o grego, o nome Iesous aparece para referir-se tanto a Josué (quatro indivíduos) como aos oito Jesua mencionados em Esdras e Neemias.

Iesous não é nome de nenhum deus da mitologia grega, tanto que não aparece em nenhum clássico grego.


Sugestão bibliográfica
Roger L. Omanson, “What´s in a Name?”, The Bible Translator, Nova Iorque, United Bible
Societies, janeiro de 1989, p. 109-119.
Idem, “Lázaro y Simón”, Traducción de la Biblia, Miami, Sociedades Bíblicas Unidas, 1o.
Semestre de 1995, p. 13-17.

A ESCOLA DOMINICAL

I - INTRODUÇÃO

A Escola Dominical é uma atividade essencial para a Igreja.

"E perseveravam na doutrina dos apóstolos" (Act 2.42).

A Igreja precisa de pensar na relevância do ensino bíblico da Bíblia.
A Escola Dominical conjuga os dois lados da Grande Comissão dada à Igreja (Mat 28.20; Mar 16.15). Ela evangeliza enquanto ensina.

O cumprimento da Grande Comissão através da Escola Dominical, pode ser visto em quatro etapas:
Alcançar - a Escola Dominical é o instrumento que a igreja possui para alcançar faixas etárias de maneira a ensinar de acordo com as necessidades.
Conquistar - através do testemunho e da exposição da Palavra: "...serão todos ensinados por Deus...todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim" (João 6.45).
Ensinar - até que ponto estamos a ensinar aqueles que se tem convertido? O ensino das doutrinas e verdades eternas da Bíblia, na Escola Dominical deve ser pedagógico e metódico como numa
escola, sem contudo deixar de ser profundamente espiritual.
Treinar - devemos treinar os crentes para que instruam outros.

II - ORGANIZAÇÃO
A administração do ensino na Escola Dominical só será eficiente se houver organização.
Organizar tem a haver com ordem, método de trabalho, planeamento, preparação e definição de objetivos.
"Uma vez que a ordem permeia o universo de Deus, temos base para crer que o céu é um lugar de perfeita ordem. Leis infalíveis regulam e controlam toda a natureza, desde o minúsculo átomo até aos maiores corpos celestes. Deus é um ser organizado: planeou a criação; a nossa redenção; o tabernáculo; a multiplicação dos pães, etc. Assim tudo quanto fazemos para Deus também deve obedecer a uma ordem organizada.
Na Escola Dominical deve estar presente: o planejamento e a avaliação dos resultados. Deve-se fixar responsabilidades e atender às necessidades espirituais das pessoas envolvidas.

III - CRESCIMENTO
A Escola Dominical deve crescer tanto em quantidade como em qualidade.
Quais são os passos necessários para que a Escola Dominical cresça?
1. Os professores devem incentivar pessoalmente os assistentes na Igreja local a envolverem-se na Escola Dominical.
2. Os professores devem apresentar o programa anual da classe da Escola Dominical estimulando os alunos a envolver-se.
3. Os alunos mais maduros devem expressar as sua experiências de crescimento a outros para que estes também se envolvam.
4. Deve-se promover campanhas evangelísticas locais, como distribuição de folhetos.