segunda-feira, 25 de abril de 2011

LIVRES PARA A ESCRAVIDÃO



Talvez você não tenha notado, mas ultimamente estão se multiplicando os anúncios evangélicos nos meios de comunicação, convidando as pessoas de todas as crenças e classes para adentrarem os templos e participarem de reuniões (ou cultos, ou encontros, etc...) “de libertação”.
     O [grande] público que comparece a essas reuniões é de dois tipos.
     Em primeiro lugar,

segunda-feira, 18 de abril de 2011

IGREJAS À VENDA !

Vivemos numa época em que qualquer coisa se tornou uma mercadoria, um produto. Bens móveis, imóveis, pessoas, objetos, sentimentos, emoções, tudo é negociável, podendo ser comprado, vendido, locado, sublocado, etc. As leis civis e os contratos se adaptam ao espantoso ritmo de negociação de tudo e de todos. Até mesmo a alma humana é negociável: quem já não ouviu a expressão “vender a alma ao diabo”?

quarta-feira, 13 de abril de 2011

EDUCAÇÃO "PÃO E CIRCO"


O fracasso de uma educação, rural e urbana, que oferece "o circo antes do pão" (Polan Lacki)
     Nos países latino-americanos, uma crescente porcentagem de jovens, rurais e urbanos, já está conseguindo concluir a escola fundamental e até a média ou secundária.
     Lamentavelmente, este êxito é mais aparente que real, pois em termos práticos está produzindo resultados decepcionantes. Os jovens, agora mais escolarizados e com um horizonte de aspirações e ambições ampliado, sentem-se frustrados, para não dizer enganados.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

PODEMOS IMPOR VALORES CRISTÃOS A UMA SOCIEDADE SECULARIZADA ?


Li, gostei e recomendo.

Por Hermes C. Fernandes (http://www.hermesfernandes.com/)

Ultimamente, a Igreja cristã tem procurado resgatar sua relevância na sociedade, manifestando-se contra algumas tendências e comportamentos. Manifestos contrários à Lei de Homofobia, ao aborto, à pesquisa com célula-tronco extraída de embriões humanos, à corrupção, à violência e outros. Não questionamos a motivação que tem levado a Igreja a posicionar-se perante a sociedade com relação a esses assuntos. Contudo, cremos que devemos avaliar a eficácia de tais manifestos.