quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Graça e Fé

“Pela graça somos salvos, através da fé, e isto não vem de nós, é dom de Deus” (Efésios 2.8)

O QUE É GRAÇA DE Deus ? É A BOA VONTADE DE Deus, causada por seu amor, em nos dar algo que não temos, não merecemos e não temos como conseguir sozinhos, mas precisamos muito. E esse algo é a salvação.



O próprio Jesus disse que sua missão era buscar e salvar o que se havia perdido. Foi única e exclusivamente para isso que ele veio a este mundo. Mas se Deus tem tanta boa vontade em nos resgatar e salvar, a ponto de mandar seu filho tornar-se um ser humano e sofrer numa cruz, então por que nem todas as pessoas são salvas ? Por que existem cristãos fortes e sadios espiritualmente, e outros se arrastando na vida cristã, vivendo com um pé na igreja e outro no mundo ? Por que muitas pessoas não resolvem entregar suas vidas a Cristo ?

Uma doutrina evangélica chamada determinismo ou predestinação responde essa pergunta da seguinte maneira: Deus ama algumas pessoas mais do que outras, e as escolheu para serem salvas.

A resposta para tudo isso chama-se FÉ. Podemos comparar da seguinte maneira: a graça de Deus é como chuva caindo sobre um grupo de pessoas com sede. Uma pessoa que não abra a boca para beber da chuva que cai, nem pegue um pouco com a mão ou uma vasilha, continuará com sede, apesar de toda a água que está ao seu redor. Essas são as pessoas que conhecem o Evangelho, ouvem falar de Cristo, mas resolvem não entregar suas vidas a Ele, pois Deus não força ninguém a servi-lo. Essa pessoa continuará com sede espiritual.

Já uma pessoa que resolve apanhar as gotas com a mão ou uma vasilha, vai saciar a sede. A vasilha representa a fé. Quanto maior a vasilha que a pessoa usar, mais água ela irá beber. Na vida espiritual é a mesma coisa: quanto maior a fé da pessoa, mais graça de Deus ela irá receber. Por isso, a Bíblia fala que existe fé grande e fé pequena. A pessoa pode inclusive não ter nenhuma fé.

Portanto, fé não é uma teoria, uma simples crença, fé não é somente crer: fé é prática, é aquilo que a pessoa irá fazer. Como lemos na Bíblia Sagrada, “a fé sem obras é morta”. Fé não é o que dizemos, fé é aquilo que fazemos. Não adianta falar sobre oração e não orar, não adianta falar sobre leitura bíblica se não lemos a Bíblia.

Quando falamos de Cristo a uma pessoa que não é evangélica, é muito comum ela se defender dizendo que não precisa receber a Cristo em seu coração por que "é uma pessoa de fé". Mas essa fé é morta, pois não tem obras, a pessoa não vive como seria o certo.

Se existe algum problema em nosso relacionamento com Deus, com certeza a culpa não é dele, é nossa. Fé e graça, graça e fé, são como ação e reação: Deus age, e a pessoa reage. Mas dependendo da reação da pessoa, os efeitos são diferentes. Quantas vezes observamos pessoas que eram evangélicos de carteirinha, se transformando de uma ora para outra em bêbados, devassos, criminosos e perdidos. O que aconteceu ? Falhou a graça de deus ? Nada disso, o que falhou foi a fé da pessoa.

Infelizmente, esse fazer de fé tem sido muito distorcido pelas pessoas hoje. Muitas pessoas ensinam que essas “obras de fé” são apenas as ofertas e contribuições financeiras para as igrejas, o que tem levado muita gente a se desfazer de seus bens na esperança, ou melhor, no desespero, de resolver num passe de mágica seus problemas de saúde, de dinheiro, de família, ações na justiça, casamentos destruídos, etc. E muitas pessoas tem se desiludido, dando seus últimos tostões, sem nada receber, pois Deus não tem compromisso com as idéias que fazemos dele. Deus tem compromisso apenas com sua palavra.

Fé não significa tentar a Deus, querendo que Deus faça aquilo que nós mesmos podemos fazer. Fé não significa ser irresponsável, como algumas pessoas que compram um carro caríssimo financiado, vão na igreja e dizem “que foi Jesus que me deu”, até colocam adesivo no carro com essas palavras, e meses depois estão em dificuldades porque a prestação do carro não cabe no orçamento.

Fé não quer dizer que podemos nos dar ao luxo de sermos negligentes e descuidados, como fez um crente que, ao ouvir um barulho no motor e parar numa oficina, ouviu do mecânico que o carro estava precisando trocar uma peça, e respondeu: “deixa pra lá, eu sei em quem tenho crido”. Mais adiante, precisou chamar o reboque...

Fé não quer dizer que podemos ser preguiçosos, como uma senhora evangélica que orou: “Deus, e vou dormir agora, e quando acordar quero que a casa esteja limpa, a louça lavada e a roupa passada”, é claro que quando ela acordou a casa estava suja e desarrumada do mesmo jeito que antes.

Deus não valoriza a preguiça, nem a irresponsabilidade, nem a falta de planejamento. Deus honra a fé, mas a fé viva, a fé com obras, a fé daquele que estuda bastante para o vestibular e pede a Deus que seja aprovado, a fé daquele que deixa seus currículos nas lojas e empresas e pede a Deus uma porta de emprego, a fé daquele que toma remédios e vai ao médico, e pede a Deus para ser curado. Essa sim é a fé viva, a fé verdadeira, a fé que remove montanhas, a fé que agrada a Deus. Essa é a fé que precisamos ter, pois ela é a reação correta à graça de Deus que recebemos em nossas vidas, e que nos salva hoje, amanhã, e na Eternidade.