sexta-feira, 27 de agosto de 2010

PROFETADAS




“PROFETADA” Nº1

No meio de um desses “cultos de poder” um pastor começa a profetizar e, no meio do falatório, vira para um irmão e diz:
— Seu útero será curaaaadooooo!
O irmão, assustado, humildemente responde:
— Mas... pastor? Eu não tenho útero!
O pastor, num arroubo de superpoderes e revelação, conclui:
— Creeeeiaaaa... e teráááás!!!

“PROFETADA” Nº 2
Numa reunião de oração, o “homem de deus”gritou para uma irmã da platéia: Eis que te digo, minha serva, que a tua prova passará, e que o Senhor já tem preparado um varão para ti.
Pena que o “ungido” não tinha percebido a aliança na mão dela.

“PROFETADA” Nº 3
Noutra “vigília do óleo da unção”, o pregador sentencia:
- Alguém aqui dentro tá com espírito de homossexualismo.
Um irmão, cheio de sinceridade, levantou a mão, mas levou uma “lambada” do “ungido:
- Não, não é você. É uma mulher.

“PROFETADA” Nº 4

"IRMAO!! VC TEM CARRO??!”, grita o “homem de deus”.
"Tenho...", responde a pobre ovelha.
"ENTAO DEUS TE DARÁ LIVRAMENTOOOO".

Que Deus é esse que precisa confirmar algo antes de mandar a profecia ???.


Por que acontecem essas e outras ? com palavra, Oséias, o profeta de Deus (esse sim):
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (4.6)

Qual a cura ? Escola Bíblica, Culto de oração e doutrina, jejum e vida de santidade.


(P.S: se você tem mais algum “revelamento” ou “visagem” para contar, fique à vontade).

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O PODER DO SOFRIMENTO

Diariamente vemos notícias de sofrimento: enchentes, terremotos, furacões, crianças violentadas, mulheres estupradas, pais de família que vão para o trabalho e não voltam, filhos mortos diante dos olhos de seus pais. O mundo é cheio de sofrimento. Mas será que esse sofrimento todo é em vão ? Será que vale a pena ? Será que tem nenhum proveito ?

Ao longo das páginas da Bíblia Sagrada, vemos o problema do sofrimento tratado por muitos personagens bíblicos. O patriarca Jó levantou a questão: porque o justo e o inocente sofrem ? A resposta divina dada a ele não responde como gostaríamos, mas consola: podemos ter certeza que, se formos fiéis a Deus, todo sofrimento que passarmos estará debaixo do controle e do consentimento de Deus, e terá um propósito definido e glorioso, confirmando que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.

O levita Asafe, nos salmos 37 e 73, trata de novo do problema, pois ele sentiu na pele as dúvidas e as inquietações que nos assombram quando vemos justos e inocentes sofrendo terrivelmente, enquanto os corruptos e sem caráter gozam a vida tranquilamente. Nesses dois salmos, a Bíblia deixa claro que haverá um acerto de contas, nesta vida e na futura, onde todo pecado cometido receberá o justo castigo, e que toda a bondade e justiça receberá a recompensa da s mãos do Criador.

O próprio Mestre da Galiléia, Jesus de Nazaré, sofreu terrivelmente desde o seu nascimento, a pondo de, já adulto, dizer que as raposas tinham suas tocas, os pássaros tinham seus ninhos, mas o Filho de Deus não tinha onde descansar sua cabeça. Além disso, Jesus deixou bem claro que as pessoas que quisessem segui-lo deveriam estar preparadas para sofrer, pois não iria ser nada fácil viver de acordo com seus ensinamentos. Em Mt. 10.22, Jesus lembrou que “sereis odiados de todos por causa do meu nome, mas aquele que perseverar até o fim, esse será salvo”, ele disse ainda em João 16.2 que iria chegar a hora em que quem matasse um cristão pensaria estar prestando um serviço a Deus, exatamente o que muitos radicais islâmicos pensam quando colocam bombas em igrejas pelo mundo afora.

O Jesus dos Evangelhos, o Cristo que ajudou as pessoas em seus sofrimentos, também sofreu muito, mesmo sendo inocente. Jesus pagou nossa salvação com sua vida, e por causa disso, ao longo dos séculos, milhares e milhares de pessoas tem dado suas vidas pela fé em Cristo.

Mateus, o escritor de um dos evangelhos, depois de converter à fé cristã a Etiópia e todo o Egito, foi traspassado por uma lança a mando do rei egípcio Hircano. Filipe, o santo apóstolo, depois de muito ter trabalhado entre nações bárbaras pregando-lhes a palavra da salvação, no fim padeceu em Hierápolis, cidade da Frígia, onde foi crucificado e apedrejado até a morte. Lá mesmo foi sepultado, juntamente com suas filhas. Todos os apóstolos foram martirizados de formas terríveis. Os tipos de morte eram tão diversificados quanto terríveis.

Tudo o que a crueldade da invenção do homem pudesse conceber para castigar o corpo humano era posto em prática contra os cristãos – açoites e flagelos, estiramentos, dilacerações, apedrejamentos, lâminas de ferro em brasa aplicadas aos seus corpos, profundas masmorras, rodas de tortura, estrangulamentos nas prisões, os dentes de animais selvagens, grelhas, patíbulos e forcas, os arremessos sobre os chifres de touros. E contudo, apesar de todas essas contínuas perseguições e castigos horríveis, a Igreja crescia a cada dia, profundamente enraizada na doutrina dos apóstolos e dos homens apostólicos e abundantemente regada pelo sangue de santos.

Em nossos dias, os sofrimentos dos cristãos continuam pelo mundo afora. Em 13 de junho, rebeldes maoístas no Nepal atacaram vários cristãos que estavam em uma reunião de oração. Os rebeldes mandaram parar a reunião. O pastor os ignorou e continuou com as orações. Então, eles o agrediram e depois atacaram as outras pessoas. Os rebeldes também queimaram Bíblias e hinários durante o ataque. Em 04 de maio, os membros do grupo extremista islâmico al-Shabaab mataram um líder da igreja em Xarardheere, Mudug, região da Somália, país da África. Eles saíram à procura de inimigos de casa em casa, até chegarem na casa de Yusuf Ali Nur, 57 anos, e como suspeitaram que ele fosse um cristão, então atiraram várias vezes à queima-roupa, matando-o. Yusuf era líder e professor numa igreja subterrânea e não tinha essa identidade revelada. Ele era casado e pai de três filhos com idades de 7, 9 e 11 anos. Son Englang, 35, pastor no vilarejo de Mallasi, no estado de Assam, foi morto e o seu corpo cremado sem ser previamente identificado e antes mesmo de sua família ser informada sobre a sua morte. Os familiares souberam do crime quando viram uma foto do corpo em um jornal. O corpo do pastor foi encontrado na rodovia 37, no dia 20 de maio. Ele tinha marcas indicando que suas mãos foram amarradas antes de ser baleado. Na manhã do dia anterior ele fora seqüestrado na manhã do enquanto ia de bicicleta fazer compras. A polícia local levou o corpo para o hospital, onde ele foi cremado sem antes ser identificado oficialmente.

Qual o crime dessas pessoas ? Servir a Deus e crer em Jesus como seu Salvador. Quando nos tornamos mais parecidos com Cristo, quanto mais nos unimos a Ele, isso quer dizer também ser mais parecido com Ele em seu sofrimento.

Rm 16.16: “O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus; e, se somos filhos, também somos herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados”. A glória cristã está ligada ao sofrimento.

A obra redentora de Cristo alcançou inicialmente apenas os 12 apóstolos, mas ainda no primeiro século alcançou todo o Império Romano, e hoje no mundo inteiro encontramos pessoas que professam o nome de Jesus. Mas como 12 se tornaram milhões ? Como a Igreja de Cristo cresceu tanto ? A resposta é: sofrimento.

A tribulação e o sofrimento não são para nos entristecer, mas sim para nos fazer crescer espiritualmente, como escreveu o Apóstolo Paulo (Rm 5.3-5): “sabendo que a tribulação produz a perseverança, e a perseverança a experiência, e a experiência a esperança; e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” A recompensa virá nas mansões celestiais, onde aí sim receberemos 100 vezes mais, como o próprio Jesus disse. “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cru z e siga-me” (Mt. 16.24).

Jesus sofreu para mostrar a glória de Deus. Você está disposto a unir-se a ele no sofrimento para revelar a glória de Deus ? Está disposto a abrir mão de suas vontades, de seus desejos, até mesmo de sua vida, para anunciar o Evangelho de Cristo e glorificar a Deus entre os homens ?

Infelizmente para muitas pessoas, a resposta é não, por acreditarem num outro evangelho, um evangelho de prosperidade e vitória nesta vida, um evangelho onde Deus é um entregador de benção e Jesus é somente um despachante, e o espírito Santo não passa de um moleque de recados. Esse evangelho, tão aceito pelas pessoas hoje em dia, procura trazer o céu até a Terra em forma de riquezas, cargos e bençãos materiais de todos os tipos e tamanhos.

Mas o evangelho da prosperidade não irá fazer ninguém louvar a Jesus, irá fazer as pessoas louvarem a prosperidade. É claro que seria muito bom um Jesus que me desse um carro, um casa, um bom casamento, um bom emprego. Será que não é essa vida boa que Deus que que tenhamos ? errado ! Nós estamos muito errados em esperar em Cristo somente nesta vida, pois aí seremos as pessoas mais miseráveis de todas (1ª Co 15.19).

Lembremos as palavras do Apóstolo São Paulo, que declarava (Colossensses 1.24). Agora me regozijo no meio dos meus sofrimentos por vós, e cumpro na minha carne o que resta das aflições de Cristo, por amor do seu corpo, que é a igreja. Será que somos melhores do que Paulo, para não sofrer ?

Tiago recomendou à Igreja (5.10):” Irmãos, tomai como exemplo de sofrimento e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. Eis que chamamos bem-aventurados os que suportaram aflições. Ouvistes da paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu, porque o Senhor é cheio de misericórdia e compaixão.”

Lemos ainda na Bíblia que quando os líderes religiosos judeus, tendo chamado os apóstolos, os chicotearam e mandaram que não falassem em nome de Jesus, e os soltaram; e eles saíram alegrando-se de terem sido julgados dignos de sofrer afronta pelo nome de Jesus. E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus, o Cristo. As chicotadas, em vez de calar os apóstolos, os incentivavam a prosseguir na pregação do evangelho. Será que podemos fazer como eles ?

Finalizamos lembrando as palavras do apóstolo Pedro, que alguns consideram o primeiro papa (1ª Pe 3.17) “Porque melhor é sofrerdes fazendo o bem, se a vontade de Deus assim o quer, do que fazendo o mal”.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

CRUZADA SILAS MALAFAIA EM MACAPÁ





A semana iniciou nadando na benção resultante do evento capitaneado pelo Pr. Silas Malafaia em nossa cidade Macapá-AP. Dois dias de louvor e adoração a Deus, e pregação da Palavra de Cristo.


Os cantores Dayan Alencar (NA FOTO) Jairinho, Eyshila, Nani Azevedo, Danielle Cristina e Rachel Malafaia apresentaram louvores bem escolhidos, com letras remetendo à obra redentora de Cristo, às vitórias que Jesus nos concede por sua graça e misericórdia e à nossa missão como Igreja militante.

A pregação do Pr. Silas Malafaia foi totalmente voltada para a pessoa de Cristo, sua obra expiatória e salvífica, e à mudança de vida resultante da conversão a Jesus. Ao final de cada preleção, não foi esquecido o apelo para os não-evangélicos e também para os “filhos pródigos”, as ovelhas afastadas do rebanho (PARTE DO CULTO QUE INFELIZMENTE MUITAS IGREJAS NÃO LEMBRAM MAIS). Centenas de pessoas decidiram-se por Cristo, em um total de cerca de cinco mil; segundo falou de viva voz o Pr. Jabes Alencar, apresentador da programação, e confirmado no site do pregador (http://www.ministeriosilasmalafaia.com.br/) foi a maior colheita de almas até agora, em todas as 10 cruzadas já realizadas.

No último dia, após a pregação e o apelo, não faltou a apresentação final em conjunto de todos os cantores, numa verdadeira apoteose de louvor e adoração que, certamente, recarregou as baterias espirituais de muita gente.

Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário se fizeram representar através de diversas autoridades locais, que receberam oração do Pr. Silas, como forma de abençoar todo o Estado do Amapá. Tudo com a devida ordem e decência, sem pronunciamentos de caráter eleitoral em desacordo com a lei, e sem favoritismos. Muito equilíbrio e sobriedade: que todos os líderes aprendam a fazer o mesmo em suas igrejas e comunidades. Afinal de contas, autoridade é para legislar, executar a lei ou julgar conforme a lei, não para pregar.

Esperemos que as diversas igrejas, ministérios e comunidades evangélicas do Amapá promovam um trabalho intenso de discipulado, a fim de que essas preciosas almas que voltaram ao rebanho de Cristo permaneçam firmes nos caminhos do Senhor e rendam muitos frutos espirituais até a volta de Jesus.

Merece elogio também a estrutura física do evento, com 3 (três) telões que proporcionaram um ótima visibilidade mesmo a quem se encontrava bem distante do palco, aliás de excelente tamanho. O som foi de uma qualidade poucas vezes vista em nosso Estado, e com a ajuda do vento chegou até bem longe do estacionamento do Sambódromo, local em que se realizou a Cruzada. A organização das tendas e barracas destinadas a atendimento médico, ponto de apoio, tribuna para os obreiros e famílias, além de venda de Cds, DVDs, livros e Bíblias. Neste último ponto, vale destacar que os preços estavam excelentes e o material de ótima qualidade.

Nem mesmo o cuidado as necessidades físicas da multidão foi esquecido, com a colocação de diversos banheiros químicos, que atenderam muito bem a uma demanda estimada de 90 mil pessoas.

Não se registraram incidentes de ordem policial, pois o povo de Deus é ordeiro e pacífico.

Vale destacar ainda que no primeiro dia do evento (21 de agosto), realizou-se um show da cantora Ivete Sangalo bem ao lado do local da cruzada. No entanto, longe de representar um problema (pois os horários eram diferentes), ainda ajudou para que a mensagem de Cristo alcançasse mais pessoas: com efeito, muita gente que chegou mais cedo para o show ouviu a pregação e decidiu-se a Cristo.

Deus permita que as igrejas, comunidades e ministérios evangélicos do Amapá percebam que a Igreja de Cristo precisa sair das 4 paredes dos templos e realizar mais cruzadas e cultos ao ar livre, como muito me recordo na minha infância e juventude. A final, ainda continua de pé a ordem de Jesus de ir aos campos e valados em busca das ovelhas desgarradas.



De resto, espero que a mensagem cristocêntrica, equilibrada, contundente e atual tal como exposta pelo Pr Silas Mafalaia sirva de exemplo a muitos obreiros e líderes, que aprendam como se deve pregar o Evangelho de Cristo: sem “retetés”, sem enrolações ou apelações, sem necessidade de experiências espirituais esquisitas e duvidosas. Tomara que muitos pregadores de terras tucujus ponham a mão na consciência e preparem pregações e mensagens melhores, levando ao povo o verdadeiro Evangelho de Cristo.

Que Deus continue abençoando o Pr. Silas Malafaia e seu ministério, e por meio dele alcançado muitas almas para o Reino dos Céus.

Seguem abaixo os links de dois videos do evento.

http://www.youtube.com/watch?v=ltS7-4WOBwM
http://www.youtube.com/watch?v=t49lSYyVUdU

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O MISTICISMO DO SÉCULO 21

Desde que o mundo é mundo, as pessoas são fascinadas e atraídas pelo sobrenatural. Tudo que diga respeito ao mundo espiritual atrai e admira o ser humano. Não é somente a religião. As crendices, superstições e práticas de adivinhação são alguns dos exemplos mais comuns do grande fenômeno espiritualista que podemos ver hoje em dia. A feitiçaria, a magia, o misticismo, são encontrados em todas as culturas e em todas as épocas, sempre com uma coisa em comum: o uso de fórmulas e rituais mágicos para curar doenças, prever coisas futuras, garantir o sucesso, etc. Muita gente não entende a verdadeira natureza nem o grave perigo envolvido nas artes ocultas.

Nas últimas décadas, a Europa e a América se tornaram grandes consumidores de religiões e costumes orientais, às vezes disfarçados de filosofias e medicinas. No Brasil não é diferente: como a cultura de nosso país é uma mistura de crenças portuguesas, índigenas e africanas, cada um com suas superstições e crendices, somos um povo muito crédulo e voltado para o sobrenatural, para o oculto, para o místico.

A Bíblia nos mostra como as nações antigas realizavam práticas e rituais para adivinhar o futuro, como por exemplo do lançar flechas com presságios escritos nelas, ou examinar o fígado dos animais oferecidos em sacrifícios, ou dormir em cemitérios para receber sonhos dos falecidos. As pessoas sempre tentaram prever o futuro, através das estrelas e planetas (astrologia), invocando os mortos (necromancia), usando varas mágicas (rabdomancia), e muitos outros rituais.

A quantidade de videntes e adivinhos de todos os tipos que encontramos hoje é gigantesca. Se o governo cobrasse uma taxa deles, poderia talvez dar um bom aumento aos aposentados. Segundo a Revista VEJA-SP, JUN 2010, alguns truques usados pelos videntes e adivinhos de hoje são: Examine a roupa, veiculo e o que mais puder sobre a pessoa, para descobrir pistas sobre sua personalidade. Tente compreender os anseios do cliente. Isso permite, com o perdão do trocadilho, dar as cartas no jogo e conduzir a conversa. Se desconfia que o marido tem uma amante, por exemplo, confirme. Fale apenas afirmações genéricas e vagas: toda família tem alguém doente, endividado, viciado ou desempregado. Um novo amor, claro, sempre pode aparecer. Deixe que as perguntas pareçam afirmações. Aproveite dicas oferecidas nas respostas anteriores para formular novas previsões. Faça previsões que possam ser entendidos de várias maneiras. Transforme erros em acertos: se perguntar se algum parente da pessoa morreu recentemente e a resposta for “não”, complete: “então vai morrer em breve”. Aposte no acaso: acidentes, separações, demissões e mortes acontecem a toda hora.

A palavra de Deus é totalmente contra essas práticas, que nada mais são do que misticismo. Várias vezes Deus falou contra isso: “Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Não vos enganem os vossos profetas que estão no meio de vós, nem os vossos adivinhos, nem deis ouvidos aos vossos sonhos que sonhais” (Jr 29.8). A Bíblia Sagrada já tem toda a revelação para o mundo, portanto não há necessidade de feiticeiros, adivinhadores e agoureiros. Na Bíblia, Deus nos diz tudo o que precisamos saber sobre o que está por acontecer.

Porque Deus proíbe toda a relação com o ocultismo? Porque Ele é Senhor, Soberano. Todas as coisas e o futuro estão em suas mãos; Porque Ele sabe o mal que o misticismo e a magia fazem ao ser humano, entorpecendo a pessoa, destruindo a livre-escolha; Porque Deus quer que nossas conquistas sejam por meio da oração a Deus e por meios honestos. Já o plano de Deus para obtermos a verdade é ouvir seus os fiéis mensageiros falarem a sua Palavra.

As práticas divinatórias são um disfarce para a idolatria e o satanismo e, portanto, são abomináveis aos olhos de Deus. Os adivinhos, agoureiros e encantadores eram proibidos entre o povo judeu. Sempre que essas práticas são mencionadas, elas também são condenadas por Deus. A Bíblia proíbe todo o tipo de bruxaria, incluindo feitiçaria, astrologia e magia.
Por que Deus ficaria tão indignado com esse tipo de prática? Porque quer que confiemos nele como nosso guia, nossa força e nosso direcionamento. Apenas Ele é nossa força e nossa vida – não as forças da escuridão.

Deus é verdade e somente a Sua Palavra é a verdade. Dessa forma, heresia continuará heresia, pecado continuará pecado, verdade continuará verdade e mentira continuará mentira.
Escreveu o apóstolo São Paulo que “Satanás se transfigura em anjo de luz” (2 Co 11.14), ou seja, para melhor fazer o mal, ele finge praticar o bem.

Infelizmente, a superstição e a busca do misticismo existem também no meio evangélico, e parece que aumenta a cada dia. Muitos cristãos não saem de casa sem tirar um versículo da caixinha de promessas, mas não lêem a Bíblia; muitos cristãos não saem antes do fim do culto por medo de perder a benção apostólica e serem amaldiçoados, mesmo quando a reunião se arrasta por horas a fio sem necessidade; muitos cristãos não usam as cores preta e vermelha juntas porque acham que são as cores do Diabo, e por aí vai. Muitas reuniões evangélicas só são realizadas se forem usados determinados objetos ou roupas, como se a presença e Deus e a adoração ao Senhor fossem determinadas por essas coisas, como se Deus fosse uma das divindades pagãs antigas. Mas o próprio Jesus disse que Deus é Espírito, e seus adoradores devem adorá-lo em espírito e em verdade.

Hoje em dia, as pessoas buscam líderes religiosos e gurus para que, através dessas pessoas, possam chegar a uma nova revelação da divindade. Mas mesmo os líderes mais carismáticos nem sempre são guiados por Deus. Vivemos numa verdadeira epidemia de falsos profetas, lobos vestidos de ovelha, que dizem ser usados por Deus, mas só querem se aproveitar do povo. Nem toda pessoa que professa a Cristo é um cristão verdadeiro, nem todos os líderes religiosos são aquilo que dizem ser. Às vezes, Deus testa a sinceridade do nosso amor e dedicação a Ele e à sua Palavra, permitindo que apareçam tais pessoas, afirmando que são profetas de Deus, e que realizam sinais e prodígios. Tais pessoas, às vezes, falam com muita ‘unção’, e operam milagres, mas ao mesmo tempo, pregam um evangelho contrário à revelação bíblica, acrescentando ou tirando mandamentos da Palavra de Deus.

São tantos os que se dizem religiosos, porém seus atos demonstram o contrário. São estes os lobos devoradores que podemos assistir a qualquer momento na TV e no rádio, falando em nome de Deus, mas colocando preço (e um alto preço) na salvação e nas bençãos de Cristo.
A Bíblia nos aconselha fortemente a testar aquelas pessoas que dizem falar em nome de Deus, observando seus frutos, isto é, seu estilo de vida, seu caráter e seus ensinamentos. Precisamos estar alertas e aprender a distinguir o falso do verdadeiro. Vivemos num tempo em que há muitos “sinais e maravilhas”, então devemos pedir a Deus sabedoria para enxergar a verdade e descobrir o erro.