segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

2010 ESTÁ CHEGANDO AO FIM

Estamos chegando ao final de mais um ano. 365 dias de oportunidades, lutas, vitórias e derrotas. Certamente foi um ano muito movimentado: eleições e Copa do Mundo agitaram o Brasil, fazendo que cada cidadão se mobilizasse além do seu cotidiano.
E ao chegar ao entardecer de mais um ano, é inevitável a pergunta: para onde ? Quando ?

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

DIA DA BÍBLIA - PARTE 3

Jesus, quando esteve aqui na Terra, sempre mostrou que nada mais estava fazendo a não ser cumprir as Escrituras. Ele também deixou claro que ensinar a Palavra e pregar o Evangelho, era e é o principal e exclusivo trabalho da igreja.
É uma pena que poucos cristãos hoje em dia se dediquem ao estudo e à leitura da Bíblia Sagrada.

DIA DA BÍBLIA - PARTE 2

     Escreveu o grande pregador Moody, na capa da sua Bíblia: “ou este livro me afastará do pecado, ou o pecado me afastará deste livro”. Este mesmo pregador certa vez visitou a cidade americana de Saint-Louis, na época em que havia sido preso

um perigoso bandido dali, chamado Valentim Burke. Quase toda a cidade foi ao culto, e o sermão de Moody foi impresso nos jornais da cidade, e um daqueles jornais caiu na cela do bandido Valentim. Ele começou a ler a mensagem, chamada “Como o carcereiro de Filipos foi apanhado”, e como conseqüência dessa leitura, entregou sua vida a Cristo.
     Após cumprir sua pena, andou por várias cidades, sofrendo a discriminação de ser um ex-detento, passando dificuldades, mas ainda firme com Cristo, até que foi chamado a Saint-Louis pelo juiz. Pensando que fosse algum outro processo a responder, apresentou-se à Justiça, pronto a pagar sua pena, mas em vez disso o Juiz da cidade, sabendo do que tinha acontecido em sua vida, o nomeou como funcionário do Tribunal. Valentim Burke comportou-se como um verdadeiro cristão, e quando o pregador Moody retornou a cidade em outra cruzada evangelística, foi visitá-lo. 
     Encontrou-o numa das salas do Tribunal, cuidando do cofre onde estavam guardadas jóias valiosíssimas, e o ex-bandido lhe disse: “Pregador, veja o que a graça de Deus fez com um ladrão! Hoje eu tomo conta de um tesouro”. Muitos outros marginais que passaram por aquele tribunal ouviram falar de Jesus através do ex-bandido, e muitos se converteram a Cristo. Ele tornou-se uma pessoa respeitável na cidade, e um grande pregador do Evangelho. Ao morrer, seu sepultamento foi acompanhado por centenas de pessoas, entre eles muitos pais cujos filhos haviam deixado o crime pela pregação do ex-bandido.
     Como a Bíblia é grandiosa! A mensagem da Bíblia é bela, majestosa e santa ! A Bíblia é poderosíssima, inigualável e eficaz em seus efeitos. 
     A Bíblia é a principal forma de comunicação de Deus para com o homem. Quando oramos, falamos para Deus o que queremos. Quando lemos a Bíblia, é Deus quem nos fala o que Ele quer de nós. 
    Hoje em dia, acontece uma coisa estranha: existe muito acesso à Bíblia, mas também aumentou a ignorância e o desprezo à Palavra de Deus, mesmo entre os que se dizem cristãos. Mas, se queremos ter uma vida de comunhão com Deus, precisamos saber qual é a vontade Dele para conosco. E esta vontade está na Bíblia Sagrada. Deus é a verdade (Jr.10:10) e a Sua Palavra é a verdade (Jo.17:17), isso prova de que a Bíblia é a principal e completa revelação de Deus para as pessoas.

DIA DA BÍBLIA - PARTE 1

     Neste segundo domingo de dezembro, comemora-se em todo o Brasil o DIA DA BÍBLIA.
     A Bíblia foi e ainda é um livro polêmico. Cada pessoa, ou grupo de pessoas, interpreta a Bíblia de um jeito diferente. Cristãos já tentaram proibir o ensino da Teoria da Evolução nas escolas americanas, invocando a Bíblia. Existe quem defenda o retorno da escravidão e o apedrejamento de adúlteros, invocando a Bíblia. Para outros, a Bíblia é somente um relato da caminhada do homem em busca de Deus.
     A Bíblia trata da criação do mundo, das alianças de Deus com os homens, da história de Israel e da Igreja, e da profecias sobre o futuro; então, ela pode ser resumida numa só frase:

ela é a Palavra de Deus. Em toda a Bíblia, fala-se 2008 vezes que Deus é o seu Autor. Ela se apresenta como alimento, fogo, luz, leite, mel, ouro, espelho, martelo que esfarela a pedra, como espada e como semente.
     A Bíblia é composta duas partes, Antigo e Novo Testamento, num total de 66 livros na versão protestante, livros que foram escritos por cerca de 40 pessoas diferentes, durante um período de 1600 anos. Como a maioria dos escritores da Bíblia não se conhecia, é extraordinário que ela forme uma coisa só, unida num único personagem: Jesus Cristo.
     A Bíblia foi escrita a mão por muitos séculos, mas com a invenção da imprensa foi o primeiro livro a ser feito, a famosa Bíblia de Gutemberg, e hoje em dia existe em mais de 300 línguas diferentes, do português ao japonês. Todos os anos são publicadas cerca de 11 milhões de Bíblias completas e 14 milhões só do Novo Testamento. As Sociedades Bíblicas no mundo inteiro tem trabalhado muito para que a Palavra de Deus chegue às pessoas. 
      Este trabalho foi iniciado por causa de uma humilde menina inglesa chamada Mary Jones, que depois de economizar por 6 anos, caminhou 25 quilômetros até a cidade para comprar uma Bíblia, mas ao chegar na loja as duas últimas já haviam sido vendidas. A menina começou a chorar inconsolavelmente, pois todo seu esforço não tinha valido nada. O comerciante, sensibilizado, decidiu então vender uma das Bíblias para ela, que pegou o livro sagrado, abraçou contra o peito e caminhou feliz da vida para sua cidade. Os líderes evangélicos daquela época, sensibilizados com tais situações, decidiram fundar a Sociedade Bíblica Britânica, com a missão de espalhar Bíblias a baixo custo por todo o mundo. O trabalho se multiplicou, tanto que a Sociedade Bíblicado Brasil completou em 2010 seus 62 anos de fundação.
     Os séculos se passaram, e a Bíblia continua cada vez mais popular. Hoje, existem Bíblias de todas as cores, formas e jeitos. Bíblias de Estudo Pentecostal, Sheed, Scofield, Aplicação Pessoal, do Estudante, do Jovem do Adolescente, Edição de Promessas, entre tantas outras.
     Tudo isso nos deixa bem claro que a Bíblia não é um livro como os outros. Nunca um livro foi tão perseguido e tão celebrado ao mesmo tempo. Nunca um livro foi tão amado e tão odiado de uma vez só. Montanhas de Bíblias já foram queimadas em praça pública, às vezes com cristãos junto. Mas também, vários monumentos à Bíblia foram erguidos em praça pública. Reis, imperadores, sábios, poderosos, já se levantaram contra a Bíblia: todos fracassaram miseravelmente. Muitos que falavam contra a Bíblia foram enterrados com uma Bíblia no túmulo. Por exemplo, o filósofo francês Voltaire pregava que dentro de 100 anos o Cristianismo deixaria de existir e a Bíblia não seria mais lida pelas pessoas, mas depois de sua morte, a casa de Voltaire na Suíça foi transformada num depósito de Bíblias.
     Mas afinal, que livro é este ? Qual a fonte desse poder tão grandioso, que não existe quem fique indiferente à sua mensagem ?
     Uma pessoa que ouça a leitura da Bíblia poderá ficar melhor ou pior, mas nunca do mesmo jeito. 
     Um menino chinês chamado Wung Fu certa vez começou a ler a Bíblia. Seus colegas e professores notaram que ele começou a se comportar de maneira diferente, até que uma professora lhe perguntou: “o que há com você ? não mente mais, não briga com os colegas como antes, não preciso ficar te repreendendo nem te castigando, o que está acontecendo ?”. E o menino respondeu: “é simples, professora, estou lendo a Bíblia”.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A POLÊMICA DA UNIVERSIDADE MACKENZIE E OS HOMOSSEXUAIS

Duas excelentes postagens sobre a mais recente polêmica.

(http://www.pulpitocristao.com/2010/11/universidade-mackenzie-em-defesa-da.html)
A Universidade Presbiteriana Mackenzie vem recebendo ataques e críticas por um texto alegadamente “homofóbico” veiculado em seu site desde 2007. Nós, de várias denominações cristãs, vimos prestar solidariedade à instituição. Nós nos levantamos contra o uso indiscriminado do termo “homofobia”, que pretende aplicar-se tanto a assassinos, agressores e discriminadores de homossexuais quanto a líderes religiosos cristãos que, à luz da Escritura Sagrada, consideram a homossexualidade um pecado. Ora, nossa liberdade de consciência e de expressão não nos pode ser negada, nem confundida com violência. Consideramos que mencionar pecados para chamar os homens a um arrependimento voluntário é parte integrante do anúncio do Evangelho de Jesus Cristo. Nenhum discurso de ódio pode se calcar na pregação do amor e da graça de Deus.



Como cristãos, temos o mandato bíblico de oferecer o Evangelho da salvação a todas as pessoas. Jesus Cristo morreu para salvar e reconciliar o ser humano com Deus. Cremos, de acordo com as Escrituras, que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23). Somos pecadores, todos nós. Não existe uma divisão entre “pecadores” e “não-pecadores”. A Bíblia apresenta longas listas de pecado e informa que sem o perdão de Deus o homem está perdido e condenado. Sabemos que são pecado: “prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, contendas, rivalidades, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias” (Gálatas 5.19). Em sua interpretação tradicional e histórica, as Escrituras judaico-cristãs tratam da conduta homossexual como um pecado, como demonstram os textos de Levítico 18.22, 1Coríntios 6.9-10, Romanos 1.18-32, entre outros. Se queremos o arrependimento e a conversão do perdido, precisamos nomear também esse pecado. Não desejamos mudança de comportamento por força de lei, mas sim, a conversão do coração. E a conversão do coração não passa por pressão externa, mas pela ação graciosa e persuasiva do Espírito Santo de Deus, que, como ensinou o Senhor Jesus Cristo, convence “do pecado, da justiça e do juízo” (João 16.8).

Queremos assim nos certificar de que a eventual aprovação de leis chamadas anti-homofobia não nos impedirá de estender esse convite livremente a todos, um convite que também pode ser recusado. Não somos a favor de nenhum tipo de lei que proíba a conduta homossexual; da mesma forma, somos contrários a qualquer lei que atente contra um princípio caro à sociedade brasileira: a liberdade de consciência. A Constituição Federal (artigo 5º) assegura que “todos são iguais perante a lei”, “estipula ser inviolável a liberdade de consciência e de crença” e “estipula que ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política”. Também nos opomos a qualquer força exterior – intimidação, ameaças, agressões verbais e físicas – que vise à mudança de mentalidades. Não aceitamos que a criminalização da opinião seja um instrumento válido para transformações sociais, pois, além de inconstitucional, fomenta uma indesejável onda de autoritarismo, ferindo as bases da democracia. Assim como não buscamos reprimir a conduta homossexual por esses meios coercivos, não queremos que os mesmos meios sejam utilizados para que deixemos de pregar o que cremos. Queremos manter nossa liberdade de anunciar o arrependimento e o perdão de Deus publicamente. Queremos sustentar nosso direito de abrir instituições de ensino confessionais, que reflitam a cosmovisão cristã. Queremos garantir que a comunidade religiosa possa exprimir-se sobre todos os assuntos importantes para a sociedade.

Manifestamos, portanto, nosso total apoio ao pronunciamento da Igreja Presbiteriana do Brasil publicado no ano de 2007 e reproduzido parcialmente, também em 2007, no site da Universidade Presbiteriana Mackenzie, por seu chanceler, Reverendo Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes. Se ativistas homossexuais pretendem criminalizar a postura da Universidade Presbiteriana Mackenzie, devem se preparar para confrontar igualmente a Igreja Presbiteriana do Brasil, as igrejas evangélicas de todo o país, a Igreja Católica Apostólica Romana, a Congregação Judaica do Brasil e, em última instância, censurar as próprias Escrituras judaico-cristãs. Indivíduos, grupos religiosos e instituições têm o direito garantido por lei de expressar sua confessionalidade e sua consciência sujeitas à Palavra de Deus. Postamo-nos firmemente para que essa liberdade não nos seja tirada.

(http://bereianos.blogspot.com/2010/11/esta-se-criando-no-brasil-uma-classe.html)
É bom que se diga que está se criando no Brasil uma classe incriticável. Ora, bolas! A que ponto chegamos! Agora não se pode dizer nada contra a prática homossexual que é logo homofobia? Cada dia que passa mais difícil vai ficando de conviver num mundo falsamente tolerante. Os homossexuais se querem uma classe privilegiada?CRIEMOS, DESDE JÁ, UM MOVIMENTO "BRASIL CONTRA A HETEROFOBIA". Aceitar o homossexual é dever de todos; mas repudiar a prática da homossexualidade é um direito da consciência. A Igreja Cristã, que adota e crê na Escritura como Palavra de Deus e sendo coluna e baluarte da verdade, não tem motivo para concordar com a prática homossexual e tem, sim, à luz da Constituição, da Liberdade de Expressão (nunca ofensiva!) e Liberdade Religiosa, posicionar-se contra qualquer comportamento contrários a sua Fé. Sendo assim, se os Gays têm direito a ficar irritadinhos com a Universidade, os Cristãos TEM DIREITOS DE MANIFESTAREM-SE CONTRA A IRRITAÇÃO dos Gays!! Por enquanto, não há DIREITOS SÓ Para um lado - os Gays. Porca miséria! Preparem-se, Cristãos. A guerra está só começando!Cristãos e Héteros, Uni-vos! - Autor: Gaspar de Souza

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Graça e Fé

“Pela graça somos salvos, através da fé, e isto não vem de nós, é dom de Deus” (Efésios 2.8)

O QUE É GRAÇA DE Deus ? É A BOA VONTADE DE Deus, causada por seu amor, em nos dar algo que não temos, não merecemos e não temos como conseguir sozinhos, mas precisamos muito. E esse algo é a salvação.



O próprio Jesus disse que sua missão era buscar e salvar o que se havia perdido. Foi única e exclusivamente para isso que ele veio a este mundo. Mas se Deus tem tanta boa vontade em nos resgatar e salvar, a ponto de mandar seu filho tornar-se um ser humano e sofrer numa cruz, então por que nem todas as pessoas são salvas ? Por que existem cristãos fortes e sadios espiritualmente, e outros se arrastando na vida cristã, vivendo com um pé na igreja e outro no mundo ? Por que muitas pessoas não resolvem entregar suas vidas a Cristo ?

Uma doutrina evangélica chamada determinismo ou predestinação responde essa pergunta da seguinte maneira: Deus ama algumas pessoas mais do que outras, e as escolheu para serem salvas.

A resposta para tudo isso chama-se FÉ. Podemos comparar da seguinte maneira: a graça de Deus é como chuva caindo sobre um grupo de pessoas com sede. Uma pessoa que não abra a boca para beber da chuva que cai, nem pegue um pouco com a mão ou uma vasilha, continuará com sede, apesar de toda a água que está ao seu redor. Essas são as pessoas que conhecem o Evangelho, ouvem falar de Cristo, mas resolvem não entregar suas vidas a Ele, pois Deus não força ninguém a servi-lo. Essa pessoa continuará com sede espiritual.

Já uma pessoa que resolve apanhar as gotas com a mão ou uma vasilha, vai saciar a sede. A vasilha representa a fé. Quanto maior a vasilha que a pessoa usar, mais água ela irá beber. Na vida espiritual é a mesma coisa: quanto maior a fé da pessoa, mais graça de Deus ela irá receber. Por isso, a Bíblia fala que existe fé grande e fé pequena. A pessoa pode inclusive não ter nenhuma fé.

Portanto, fé não é uma teoria, uma simples crença, fé não é somente crer: fé é prática, é aquilo que a pessoa irá fazer. Como lemos na Bíblia Sagrada, “a fé sem obras é morta”. Fé não é o que dizemos, fé é aquilo que fazemos. Não adianta falar sobre oração e não orar, não adianta falar sobre leitura bíblica se não lemos a Bíblia.

Quando falamos de Cristo a uma pessoa que não é evangélica, é muito comum ela se defender dizendo que não precisa receber a Cristo em seu coração por que "é uma pessoa de fé". Mas essa fé é morta, pois não tem obras, a pessoa não vive como seria o certo.

Se existe algum problema em nosso relacionamento com Deus, com certeza a culpa não é dele, é nossa. Fé e graça, graça e fé, são como ação e reação: Deus age, e a pessoa reage. Mas dependendo da reação da pessoa, os efeitos são diferentes. Quantas vezes observamos pessoas que eram evangélicos de carteirinha, se transformando de uma ora para outra em bêbados, devassos, criminosos e perdidos. O que aconteceu ? Falhou a graça de deus ? Nada disso, o que falhou foi a fé da pessoa.

Infelizmente, esse fazer de fé tem sido muito distorcido pelas pessoas hoje. Muitas pessoas ensinam que essas “obras de fé” são apenas as ofertas e contribuições financeiras para as igrejas, o que tem levado muita gente a se desfazer de seus bens na esperança, ou melhor, no desespero, de resolver num passe de mágica seus problemas de saúde, de dinheiro, de família, ações na justiça, casamentos destruídos, etc. E muitas pessoas tem se desiludido, dando seus últimos tostões, sem nada receber, pois Deus não tem compromisso com as idéias que fazemos dele. Deus tem compromisso apenas com sua palavra.

Fé não significa tentar a Deus, querendo que Deus faça aquilo que nós mesmos podemos fazer. Fé não significa ser irresponsável, como algumas pessoas que compram um carro caríssimo financiado, vão na igreja e dizem “que foi Jesus que me deu”, até colocam adesivo no carro com essas palavras, e meses depois estão em dificuldades porque a prestação do carro não cabe no orçamento.

Fé não quer dizer que podemos nos dar ao luxo de sermos negligentes e descuidados, como fez um crente que, ao ouvir um barulho no motor e parar numa oficina, ouviu do mecânico que o carro estava precisando trocar uma peça, e respondeu: “deixa pra lá, eu sei em quem tenho crido”. Mais adiante, precisou chamar o reboque...

Fé não quer dizer que podemos ser preguiçosos, como uma senhora evangélica que orou: “Deus, e vou dormir agora, e quando acordar quero que a casa esteja limpa, a louça lavada e a roupa passada”, é claro que quando ela acordou a casa estava suja e desarrumada do mesmo jeito que antes.

Deus não valoriza a preguiça, nem a irresponsabilidade, nem a falta de planejamento. Deus honra a fé, mas a fé viva, a fé com obras, a fé daquele que estuda bastante para o vestibular e pede a Deus que seja aprovado, a fé daquele que deixa seus currículos nas lojas e empresas e pede a Deus uma porta de emprego, a fé daquele que toma remédios e vai ao médico, e pede a Deus para ser curado. Essa sim é a fé viva, a fé verdadeira, a fé que remove montanhas, a fé que agrada a Deus. Essa é a fé que precisamos ter, pois ela é a reação correta à graça de Deus que recebemos em nossas vidas, e que nos salva hoje, amanhã, e na Eternidade.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

ANO NOVO, GOVERNO NOVO, IMPOSTO NOVO

     Os governadores da base aliada do governo se preparam para, a partir do ano que vem, negociar a criação de um novo imposto para a saúde, em substituição à extinta CPMF. A criação de uma nova fonte de recursos para o setor deverá ser discutida com a presidente eleita Dilma Rousseff depois que ela assumir oficialmente o cargo, em 1º de janeiro.
     Quem está levantando a bandeira são nomes de pesos do PSB (partido do governador Camilo Capiberibe-AP): governador eleito do Espírito Santo Renato Casagrande, o governador reeleito de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

EX-PASTOR DA MUNDIAL RENUNCIA

     A Igreja Mundial do Poder de Deus é tida como a igreja neopentecostal que mais cresce no Brasil. Tem mais de 2.300 templos e ocupa quase toda a programação da Rede 21, além de horários em outros canais. Quando foi fundada pelo apóstolo Valdemiro Santiago, em 1998, o então motorista de caminhão Givanildo de Souza começava a trabalhar em Sorocaba, no interior de São Paulo. Entusiasmado com as promessas de cura, enriquecimento e ressurreição, ele resolveu trocar o caminhão pelos templos. Virou discípulo de Valdemiro e obreiro da Mundial. Para provar sua proximidade com Valdemiro, Givanildo exibe fotos de sua família com a de Valdemiro, todos em trajes de lazer.
     A dedicação ao altar lhe rendeu promoções. Givanildo passou por várias cidades até ser transferido para Araçatuba, a 525 quilômetros da capital paulista. Lá ficou responsável por 14 igrejas. Como pastor regional, chefiava os colegas e respondia pelo dinheiro arrecadado. Semanalmente, diz, enviava para a sede os montantes recolhidos. O vínculo com a Mundial durou até julho deste ano. Depois de se declarar descontente, Givanildo decidiu sair e agora faz acusações contra a Mundial.



Ele afirma que era orientado a distorcer trechos da Bíblia para aumentar a arrecadação com os fiéis. É a primeira vez que um dissidente da Mundial dá um depoimento assim. Representantes da igreja foram procurados para comentar, mas não quiseram responder.
     Os líderes da Igreja Mundial, segundo Givanildo, estabelecem metas financeiras a seus subordinados e cobram resultados. “Se eu não dobrasse o valor, ia ser mandado embora com minha família e tudo”, diz. Givanildo conta que, um pouco antes de deixar a Mundial, despachava para a sede cerca de R$ 300 mil por mês, oriundos do bolso dos fiéis. “Depositava na conta da igreja. Às vezes, pediam para levar em mãos.”
     A pressão por arrecadação e as técnicas para extrair dinheiro de fiéis, segundo ele, eram ditadas pelo bispo Josivaldo Batista, o segundo homem da Mundial. Josivaldo, diz, lidera a segunda parte dos encontros periódicos de pastores para falar de crescimento financeiro. “A primeira parte da reunião é televisionada. Depois que desligam tudo, o bispo Josivaldo começa a falar: ‘O negócio é o seguinte, se não crescer, vamos fazer umas trocas aí. Vamos botar os pastores lá no fundão do Nordeste, no meio do mato’.”
     Givanildo diz que, nas reuniões, Josivaldo também mostra como usar trechos da Bíblia para aumentar a arrecadação. “Houve uma campanha feita em cima de Isaías 61:7, sobre a dupla honra. Aí surgiu a proposta de pedir 30% do salário da pessoa.” Esse versículo diz o seguinte: “Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; (...) por isso na sua terra possuirão o dobro e terão perpétua alegria”. Segundo Givanildo, os pastores passaram a pregar que para obter a “dupla honra” era necessário “dobrar” o dízimo e dar mais 10% do salário como oferta. Total: 30%. O “trízimo” ficou conhecido como uma inovação introduzida pela igreja de Valdemiro.
     Outra orientação comum, diz Givanildo, é fazer associações simplórias entre números citados em textos sagrados e metas de ofertas. Num trecho bíblico que descreve uma batalha está dito que 7 mil guerreiros “não se dobraram a Baal”. É o que basta para uma associação. Depois de reler essa frase aos fiéis, os pastores passam a pedir doações de 7 mil pessoas, insinuando que se trata de uma determinação bíblica.
     Na Mundial, de acordo com Givanildo, o acesso a bens sagrados são barganhados. Josivaldo, diz ele, mandava distribuir água benta só aos que contribuíssem financeiramente. “A gente tinha de dizer assim: ‘Eu quero 200 pessoas com oferta de R$ 100, que eu vou dar uma água’. Para aquelas que não tinham oferta, não podia dar.”
     “Eu fazia meu melhor no altar, só que quando chegava nesse momento de pedir oferta não me sentia bem. Ficava enojado”, afirma. “Se a igreja está passando necessidade, não pode ter fazenda, clube.” Givanildo conta que era considerado “rebelde” por não colocar em prática as campanhas de ofertas acima de R$ 100. E, quando o faturamento caía, era acusado de roubo, diz. “Um dia, na reunião, o bispo Josivaldo, querendo me humilhar, gritou assim: ‘Pastor Souza, vem aqui na frente’. Ele disse que tinha uma acusação, que eu estava pegando propina de outros pastores.”
     Fora da Mundial, Givanildo montou sua própria igreja, a Missionária do Amor. Seu primeiro templo, em Araçatuba, tem sistema de som, grafite na parede e quase uma centena de bancos estofados. Com que dinheiro montou tudo isso? “Tem gente que acredita e está me ajudando”, afirma. Sua igreja não parece ser muito diferente da Mundial. Givanildo afirma que, pelo menos no que diz respeito à forma de pedir ofertas, não segue os passos de Valdemiro. (http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI170455-15223,00-AS+ACUSACOES+DE+UM+EXPASTOR.html)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Os Elias de hoje

     Às vezes, ao longo de nossa carreira cristã, somos desprezados até mesmo pelos irmãos de fé, até mesmo por nossos líderes, até mesmo pelos obreiros que deveria cuidar do rebanho. O mais triste é quando isso acontece não porque cometemos algum pecado, ou porque nossa conduta está em desacordo com a Palavra de Deus; mas porque defendemos os princípios morais e doutrinários contidos na Bíblia Sagrada. Isso desagrada muitas pessoas, tanto de fora da Igreja, quanto no seio do Corpo de Cristo.



     Muitas vezes, nos sentimos como Elias quando teve que fugir da rainha Jezabel, que o ameaçava de morte porque ele exterminara seus profetas de Baal (1º Reis 19): escondidos na caverna da depressão e da tristeza, tal como Elias, nos sentimos sozinhos e desamparados, e assim como Elias, nos queixamos a Deus que, apesar de todos nossos esforços para falar da sã doutrina e proclamar o Evangelho, não foi alcançado nenhum resultado significativo. Tal como Elias, nos queixamos “só eu fiquei”.
     Porém, o mais importante nessas situações é que Deus não deixa de atender e responder ao aflito e desamparado. Deus deixa de falar com os grandes e poderosos, e atenta para o solitário e deprimido. E a resposta divina não aparece no vento tempestuoso, no terremoto destruidor, nem no fogo consumidor; sua resposta aparece em uma voz mansa e delicada que precisamos fazer silêncio em nossa alma e em nossas aflições para conseguir escutar.
     Interessante que a resposta de Deus a Elias não começou com palavras de conforto, mas com tarefas a cumprir (v. 15,16). A lição é muito clara: a resposta de Deus para nossa aflição e depressão não é passar a mão em nossa cabeça, mas nos despertar para realizarmos sua vontade; afinal, os campos estão brancos para a colheita, e milhares perecem longe de Deus todos os dias.
     Deus finalizou a resposta a Elias (v.18) lembrando que ele não era o último dos fiéis, ainda tinham restado 7 mil servos de Jeová que não tinham se curvado a Baal. Você não está sozinho em seu inconformismo com a Teologia da Prosperidade e a Confissão Positiva; você não está sozinho em sua indignação com costumes humanos aceitos na igreja; você não está sozinho em seu zelo pelo Senhor dos Exércitos. Existe um resto fiel, que estão debaixo do olhar de Deus; eles podem não ser obreiros e líderes, mas são salvos na pessoa bendita de Cristo Jesus.
     Portanto, prossiga para o alvo, na soberana vocação de Jesus Cristo. Firme-se na Palavra de Deus , pois é ela (e não alguma “profecia” ou “revelação” ou algum “ungido”) que nos salvará ou nos condenará um dia.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

493 ANOS DE REFORMA PROTESTANTE



No dia 31 de outubro, fazem 493 anos que o padre alemão Martinho Lutero pregou na porta de sua igreja folhas de papel com 95 teses, ou propostas, na cidade de Wittemberg. Foi a maneira daquele padre protestar contra a venda de indulgencias pela Igreja Católica, eram documentos assinados pelo Papa que garantiam o perdão dos pecados da pessoa, bastava pagar uma soma em dinheiro.



Foi o começo de uma revolução espiritual, social, econômica e política chamada REFORMA PROTESTANTE, que séculos depois produziria o Movimento Pentecostal, de onde veio a Assembléia de Deus e a maioria das Igrejas Evangélicas.

É triste dizer, mas ainda hoje algumas igrejas supostamente evangélicas estão indo naquele mesmo rumo errado, vendendo bençãos e perdão, vendendo até pedaços do céu, vendendo diploma de dizimista, certificado de pastor ungido e carteirinha de patrocinador.

Lutero pode estar morto, mas o Deus a quem ele servia, o Deus que ele chamou de “Castelo Forte” em um de seus hinos, ainda está vivo e agindo no meio do povo.

Convidamos aos evangélicos de todas as denominações celebrarem esse dia 31 de outubro, relembrando o dia da Reforma Protestante.

eleições 2010



Estamos às vésperas do 2º turno das eleições para governador e presidente. Em nosso Estado do Amapá, segundo a Justiça Eleitoral, quase 65 mil pessoas deixaram de votar, ou votaram em branco, ou votaram nulo, mas todos podemos e devemos participar da construção de um Amapá melhor e um Brasil melhor, e nesse momento o instrumento para mudança é o nosso voto. Todos os candidatos prometem mudança, mas devemos pensar que qualquer coisa pode mudar para melhor ou para pior, dependendo da nossa escolha. Por isso, devemos escolher bem, olhando além das aparências, além dos votos comprados, além das promessas vazias. Aliás, é muito fácil o candidato dizer que vai fazer isto ou aquilo, mas nem sempre dizer como se vai colocar em prática, e isso é muito importante.



As escolhas do povo são soberanas, mas nem sempre são certas. Basta lembrar que em 1930 o povo alemão, um povo culto, estudado, com uma cultura riquíssima, um povo com muitos escritores e estudiosos, elegeu para o governo uma pessoa que nunca tinha disputado uma eleição, que nunca tinha governado nada, que não passava de um soldado raso e um artista fracassado. Mas ele falava o que o povo gostava de ouvir, ele se apresentava ao povo como “gente da gente”, ele prometeu que a Alemanha seria o maior país do mundo, mas ele perseguiu a imprensa, ele pisou os princípios éticos e morais da Humanidade, levando os alemães a odiar todos os estrangeiros, principalmente os judeus. Esse homem levou o mundo à 2ª guerra mundial, matou milhões de pessoas, ele se chamava Adolf Hitler; nesta semana, um museu na Alemanha preparou uma exposição de fotos e cartazes dele, e as pessoas que ali comparecem ficam assombradas e se perguntando: como Hitler conseguiu iludir o povo alemão ? E como o povo alemão conseguiu se enganar tanto ? Portanto, não vamos repetir o erro dos alemães. Vamos escolher bem, para não se arrepender depois.

Existem candidatos que procuram ganhar votos dizendo que pegaram em armas contra a ditadura militar nos ambos 60. Mas a verdade é bem diferente: numa entrevista recente, o deputado federal Fernando Gabeira (RJ), que pertenceu ao grupo armado MR-8, disse: “o que nós queríamos era implantar uma ditadura do proletariado”. Isso mesmo, os grupos armados dos anos 60 não lutavam para tirar os militares e fazer uma constituição cidadã, implantar a democracia e a liberdade de voto, de crença e de imprensa, na verdade esses grupos terroristas queriam transformar o Brasil numa outra Cuba, numa Rússia, com uma ditadura comunista, e para isso usavam a violência, assaltando, matando e praticando toda sorte de barbaridades. A ditadura militar não foi nenhum paraíso, mas os guerrilheiros dos anos 60 não eram nenhum bando de defensores da democracia e da liberdade. Portanto, passado de guerrilheiro não é glória para ninguém.

Repetimos ao povo evangélico: embora os votos do Amapá sejam pouco no total do Brasil, nossas orações são poderosas, pois a Bíblia nos assegura que “a oração feita por um justo muito pode em seus efeitos”. No 1º turno, o povo evangélico se mobilizou em oração, e os institutos de pesquisas foram envergonhados, foram chamados pela imprensa de “profetas fracassados”, porque os verdadeiros profetas de Deus batalharam em oração. Portanto vamos votar bem, escolhendo candidatos que sejam contra o aborto, contra a legalização das drogas, contra a violência, contra a mentira, e contra outras coisas que a Bíblia condene. E além de votar, vamos orar: a Escola Bíblica Dominical no Templo Central será antecipada para sábado à tarde, 4 horas, e nessa mesma reunião estaremos levantando um clamor e uma intercessão por esta eleição. Convidamos a todo o povo evangélico a fazer o mesmo, em suas igrejas, congregações e comunidades. E todos estão convidados a estarem conosco nesta Escola Bíblica de Sábado, com o tema “ORANDO COMO JESUS ENSINOU”. Povo de Deus, ore e vote. Que Deus nos abençoe.





quinta-feira, 14 de outubro de 2010

SER PROFESSOR



Tarefa difícil, mas não impossível,
tarefa que pede sacrifício incrível!
Tarefa que exige abnegação,
tarefa que é feita com o coração!
Nos dias cansados, nas noites de angústia,
nas horas de fardo, de tamanha luta,
chegamos até a questionar:
Será, Deus, que vale a pena ensinar?
Mas bem lá dentro responde uma voz,
a que nos entende e fala por nós,
a voz da nossa alma, a voz de Deus:
- Vale sim, coragem!
Você ensinando, aprende também.
Você ensinando, faz bem a alguém,
e vai semeando nos alunos seus,
um pouco de paz, e muito de Deus.
(Autor Desconhecido)

SOU UM PROFESSOR



Sou um professor. Nasci no momento em que a primeira criança fez sua primeira pergunta.

Tenho sido muitas pessoas em muitos lugares. Os nomes daqueles que exercem minha profissão constituem uma galeria de fama da humanidade: Paulo Freire, Montessori, Emília Ferreiro, Moisés, Jesus.



Sou também nomes e rostos que já foram esquecidos, mas cujas lições e caráter serão lembrados para sempre nas realizações dos que educaram.

Já chorei de alegria em casamentos de ex-alunos, ri de felicidade pelo nascimento de seus filhos e baixei a cabeça diante de sepulturas cavadas cedo demais para corpos jovens demais.

Ao longo do dia, sou chamado de artista, amigo, enfermeiro, médico, treinador; tenho que encontrar objetos perdidos, emprestar dinheiro, ser psicólogo, substituto de pai e mãe, político, e guardião da fé.

Apesar dos mapas, gráficos, fórmulas e verbos, na verdade o mais importante a ensinar aos meul alunos é quem eles são de verdade.

Quanto mais escuto, mais alta se faz minha voz ouvir. Quanto mais estou disposto a receber com
simpatia o que vem dos meus alunos, mais tenho para oferecer-lhes.

Riqueza material não é o meu sonho, mas sou um caçador de tesouros, à procura de novas oportunidades para meus alunos usarem seus talentos e buscando descobrir seu potencial, às vezes enterrado debaixo dos fracassos da vida.

Eu sou o mais feliz dos trabalhadores. Enquanto que um médico traz uma vida ao mundo, eu cuido da vida a cada dia, ajudando-a renascer com novas perguntas, melhores idéias e oportunidades. Um arquiteto, se construir sua obra com cuidado, sabe que ela durará muitos anos, um professor sabe que se ensinar com perfeição, sua obra durará para sempre.

Sou um guerreiro que luta contra a pressão dos colegas, o descaso dos governos, o pessimismo, o medo, o conformismo, o preconceito e a ignorância. Mas não estou sozinho nessa luta; estão comigo a inteligência, o apoio dos pais, a criatividade, o riso, a fé e o amor.

Tenho um passado cheio de lembranças, tenho um presente cheio de desafios, e passo meus dias vivendo com o futuro.

Sou um professor... e agradeço a Deus por isso todos os dias.

(Adaptação livre de JONH W. SCHALATTER )

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

SINAIS DOS TEMPOS ...

Vejam essas ...




DEPOIS DE 3 DE OUTUBRO...



Publicados os resultados da eleição, algumas constatações:
1) Serra e Dilma preparam-se para o 2º turno, assim como Lucas Barreto e Camilo Capiberibe em nosso glorioso Estado do Amapá, afiando suas armas;

2) Marina Silva muito disputada. Quem ela apoiará ? esperemos as cenas do próximo capítulo (70% de probabilidade de apoiar o Serra, na minha opinião).

3) Alguns candidatos a deputado estadual e federal dormiram eleitos e acordaram sem mandato, devido ao famigerado coeficiente eleitoral (rsrsrs).

4) O vereador e irmão em Cristo Anab Sandre não chegou, infelizmente, tampouco nosso irmão Valdenor Guedes. Aliás, no geral, os candidatos evangélicos foram pouco votados. Sinais dos tempos..., A liderança (pastores e cia) parece que está um pouco desprestigiada. Por que será ?

5) Antecipamos a Escola Bíblica do dia 03/10 para a sexta-feira 01/10 à noite, foi uma benção, a lição sobre ORAÇÃO, e em seguida PALAVRA DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE CIDADANIA E VOTO ÉTICO, para depois um período de oração e intercessão pelo Estado e pelo Brasil.

6) Apesar de ter sido uma eleição tranquila, na opinião das autoridades eleitorais, foram abertos cerca de 20 processos judiciais que podem (ou não) resultar em condenações e alterar o quadro de eleitos.

7) Destaque para as abstenções: 62.539 (MAIS DE SESSENTA MIL PESSOAS !!!) deixaram de votar !! (fonte http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/estatistica2010/Est_resultados/quadro_comparecimento.html)

8) Ei, não vamos esquecer dos votos em branco (GOVERNADOR, 4.424; SENADOR 20.154, DEPUTADO FEDERAL 6.815 e DEPUTADO ESTADUAL 4.447) e nulos (GOVERNADOR, 21.012; SENADOR 173.511, DEPUTADO FEDERAL 35.515 e DEPUTADO ESTADUAL 10.158). Claro que, no caso de SENADOR e DEPUTADO FEDERAL, a quantia elevada se deve aos votos anulados dos candidatos JOÃO ALBERTO CAPIBERIBE e JANETE CAPIBERIBE. Mesmo assim, é muita gente ... CANDIDATOS, CORRAM ATRÁS DO PREJUÍZO !!!

9) Adianto logo meu voto: LUCAS para governador, e SERRA pesidente. Dilma e o PT já tiveram seu tempo e sua chance, fizeram alguma coisa, mas já é tempo de se retirarem. Aliás, com as últimas do PT (mensalões, PNDH-3, PLL 122/2009, Controle da imprensa, etc) já se aplica Daniel 5, 26-28: "Contou Deus o teu reino e o acabou; Pesado foste na balança e achado em falta; Dividido foi o teu reino entre os médos e os persas".

Oremos, votemos e esperemos !

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A BIBLIA E O VOTO (2)

As pesquisas eleitoras são muitas nesta época, dos mais diversos institutos, e são importantes, o problema é que elas podem ser facilmente manipuladas, sem deixar rastros, para prejudicar ou favorecer alguém. A ordem das perguntas ou a forma como elas são feitas também podem levar a resultados diferentes.

Por exemplo, em uma pesquisa eleitoral feita pelo instituto Vox Populi em janeiro deste ano, o candidato José Serra aparecia nos questionários com o nome escrito de trás para frente, o que pode ter influenciado o resultado; afinal de contas, você votaria num candidato chamado “Arres Esoj” ?

Noutro questionário anterior do Instituto Mapear, apareciam como opções de voto 1) José Serra; 2) Ciro Gomes; 3) Marina Silva; 4)"Dilma, a candidata do Lula", claramente favorecendo esta última.

Em 2006, uma pesquisa do Ibope no Maranhão apontava determinada candidata como vencedora no 1º turno com 70% dos votos; essa candidata acabou indo para o segundo turno e perdendo a eleição. Nas eleições de 2008 para prefeito de Belém do Pará, o Ibope, a duas semanas das eleições, informou aos eleitores que Valéria Pires Franco liderava, com 25% , seguida de Duciomar Costa, com 23%. Duciomar venceu com 35% dos votos, seguido de José Priante, com 19%...

Há um ano atrás, o presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, declarou que o presidente Lula, apesar da alta popularidade, não conseguiria transferir seu prestígio pessoal para seu candidato. Mas na edição 2129 da Revista Isto é, ele declarou. “Errei e peço desculpas. Na vida, às vezes, você se engana”.

Noutra pesquisa do Vox Populi em abril deste ano, os pesquisadores repetiram o mesmo caminho que já tinham feito em janeiro (mesmas ruas, casas e endereços dos entrevistados), ou seja, voltar aos mesmos lugares pode ter feito a pesquisa apresentar resultados viciados.

Alguns institutos de pesquisa usam um sistema chamado “amostragem por quotas”; só que no livro Survey Sampling, de Leslie Kish (1965), o autor declara que o método não é científico, o que torna impossível avaliar se é correto.

As enquetes via internet são outro personagem que aparece muito nessa época, mas que também devem ser olhadas com alguma cautela: como ter certeza de que não aconteceu duma mesma pessoa votar repetidas vezes em determinado candidato ?

Esses exemplos são para deixar claro que pesquisas eleitorais são importantes, mas que não são profecias infalíveis e que se realizam sozinhas, afinal, como dizia o ex-presidente Itamar Franco, "os números não mentem, mas os mentirosos fazem números". Por esse motivo, a Bíblia nos aconselha: “Não seguirás a multidão para fazeres o mal” – Êxodo 23.2.

A Bíblia nos conta (1º Reis 18) o desafio entre Elias, o profeta de Deus, e os 400 profetas de Baal. Elias chama o povo a uma decisão: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o. Porém o povo não lhe respondeu nada”.

Assim como o povo daquela época, muitos estão indecisos sobre o seu voto. Muita gente ainda está “em cima do muro”, que é um a posição perigosa (você pode cair ou ser empurrado) e desconfortável (já experimentou ficar sentado em cima de um muro por muito tempo ?).

Outros já escolheram, mas infelizmente escolheram mal. Baal naquela época era considerado o deus da fertilidade e da prosperidade, e é isso que muitos eleitores estão escolhendo: escolheram a Baal, escolheram o pecado, escolheram a corrupção, escolheram a ganância, o egoísmo, a ambição. Não estão pensando na sociedade, apenas nos seus próprios interesses, estão escolhendo seu voto apenas querendo se dar bem.

Finalmente, não se pode esquecer que assim como existem candidatos e candidatas merecendo nosso voto de confiança, existem aqueles e aquelas que estão merecendo um voto de desconfiança. São pessoas que, por causa do seu passado, ou por causa do seu presente, ou até mesmo por causa do seu futuro, de maneira alguma serão bons governantes ou bons legisladores. Precisamos identificar essas pessoas e não escolhê-las, pois muitas delas já tiveram sua chance de fazer algo bom para a sociedade e não aproveitaram a oportunidade.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A BIBLIA E O VOTO (1)


Na vida espiritual, Deus nos faz escolher entre a vida e a morte, a benção e a maldição. Deus nos dá o direito de escolher obedecer ou não obedecer aos seus mandamentos. Assim como na vida espiritual, assim também na vida material precisamos escolher. Infelizmente, assim como na vida espiritual, muitas pessoas não escolhem bem.

Estamos nos aproximando de mais um pleito eleitoral, em que iremos decidir os destinos de nosso País por mais 4 anos, escolhendo as pessoas que vão fazer as leis e as que vão colocar em prática essas leis. Então, precisamos escolher bem.

É verdade que muitas pessoas vão escolher na última hora, no último minuto, para quem vai o seu voto. Muitas dessas pessoas vão se tornar presas fáceis dos lobos em peles de ovelhas. Geralmente, se escolhe o candidato mais bonito, o mais simpático, o que lhe ajudou de alguma maneira, ou aquele candidato que a maioria escolheu; mas será que essas são as melhores formas de escolher ?

Em primeiro lugar, escolher o candidato mais simpático e de melhor aparência não é muito bom; afinal, a Bíblia diz: “Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça” (João 7:24). Não podemos esquecer que há alguns anos atrás o candidato Fernando Collor de Mello foi escolhido pela maioria da população justamente porque parecia jovem, dinâmico e simpático. O resultado não foi nada bom. É bom lembrar que muitos candidatos e candidatas pelo Brasil afora gastaram rios de dinheiro justamente para mudar sua imagem e conquistar a população. Infelizmente, muitas vezes muda a aparência mas não muda o conteúdo. O apóstolo São Paulo nos avisa: Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são passageiras, e as que se não vêem duram para sempre (2ª Co 4.18). Portanto, escolher o candidato ou candidata pelo que se vê não é correto.

Escolher o candidato que em algum momento passado nos ajudou, o famoso “voto de gratidão”, também não é muito recomendável. Não é por aquela pessoa ser caridosa e solidária que ele também possui a capacidade e a competência de ser um bom legislador ou um bom governador, ou bom presidente. A eleição não é para escolher santo. Por outro lado, não podemos escolher alguém só porque nos prometeu algum tipo de ajuda agora ou depois da eleição, pois isso é compra de voto, é crime eleitoral, e é pecado. “o suborno corrompe o coração”. (Ec 7.7). “Maldito aquele que aceitar suborno” (Deuteronômio 27:25). A Bíblia ainda nos lembra que até por um pedaço de pão um homem se corromperá (Provérbios 28:21), e é a pura verdade, muitas pessoas trocam seu voto até mesmo por ninharias, por coisas de pequeno valor.

Muitos eleitores pensam assim: “Eu sempre voto no candidato que está na frente nas pesquisas porque assim eu sei que vou votar em quem vai ganhar”. Essas pessoas escolhem seu candidato pela opinião da maioria, a maioria que aparece nas pesquisas eleitorais (ou seria minoria ?). Será que essa é a idéia mais correta ? Ao contrário do que muita gente diz por aí, a voz do povo nem sempre é a voz de Deus; basta lembrar que foi uma multidão que pediu a Pilatos que Jesus fosse crucificado e o assassino Barrabás fosse libertado. Era a mesma multidão que apenas alguns dias antes tinha aplaudido Jesus como o Messias; isso aconteceu porque as pessoas foram manipuladas pelos líderes religiosos daquela época para pedirem a condenação de Jesus à morte. Do mesmo jeito, muitas pessoas hoje em dia estão sendo manipuladas, estão se deixando levar pela cabeça dos outros, talvez porque pensar de maneira crítica e independente traz dor de cabeça.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Operação Mãos Limpas no Amapá


Em nosso Estado do Amapá, ocorreu um verdadeiro furacão nos últimos dias, quando em 10.09.2010 a Polícia Federal deflagrou a “Operação Mãos Limpas”, prendendo diversas autoridades políticas, empresários e servidores públicos, suspeitos de desviar recursos do FUNDEB (verba para educação e escolas). Os envolvidos estão sendo investigados pelas práticas de crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, advocacia administrativa (patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração pública), ocultação de bens e valores, lavagem de dinheiro, fraude em licitações, tráfico de influência, formação de quadrilha (ufa!), entre outros crimes.

A notícia foi amplamente divulgada na mídia nacional e na internet (cerca de 600.000 links com as tags GOVERNADOR AMAPÁ PRESO) em 13.10.2010.

O volume de verbas federais encaminhadas ao Estado no período de 8 anos do Governo Waldez/Pedro Paulo pode chegar a 800 milhões de reais. Sendo que nas contas dos envolvidos (o STJ quebrou o sigilo bancário deles) foram encontrados cerca de R$ 300 milhões de reais.

Entre os presos, o atual governador e candidato à reeleição, Pedro Paulo Dias de Carvalho, seu antecessor Waldez Góes (candidato ao Senado), além de outras 16 pessoas. Foram também cumpridos 87 ordens de condução coercitiva (testemunhas levadas à força para prestar esclarecimentos) e 94 ordens de busca e apreensão (casas e escritórios revirados de cima a baixo para coleta de provas). Como resultado, um ônibus lotado de documentos e computadores apreendidos, além de 5 carros importados e 1 milhão de reais (encontrados na casa do Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amapá, Júlio Miranda).

Indagado sobre a necessidade da medida, garantiu o Procurador Geral da República que a prisão dos envolvidos era necessária, para evitar ameaça a testemunhas e destruição de provas.

"A prisão (...) é imprescindível para evitar possível influência ou coerção sobre testemunhas e destruição de provas. Todas as informações chegaram à Procuradoria Geral da República, em abril de 2010, encaminhadas pela Justiça Federal do Amapá, por causa do envolvimento de pessoas com foro privilegiado. A investigação está baseada em quebras de sigilo bancário, telefônico e provas testemunhais e documentais", diz nota do Ministério Público Federal.

O desembargador Dôglas Evangelista assumiu temporariamente o governo do Estado, já que o presidente da Assembléia Legislativa, Jorge Amanajás, encontra-se em campanha para ser o próximo governador.

Vale lembrar que, ao contrário de outras operações semelhantes já ocorridas em nosso Estado, esta veio de uma instância mais elevada, o Superior Tribunal de Justiça, na pessoa do Ministro JOÃO OTÁVIO DE NORONHA.

A prisão é temporária (5 dias), podendo ser prorrogada por mais 5 dias, e ao final transformada em prisão preventiva (sem prazo definido).

Este é o começo de uma situação difícil para os envolvidos: a investigação está na fase de inquérito policial, e depois provavelmente será transformada num processo criminal, com o oferecimento de denúncia. Será um longo processo, que correrá em Brasília, com uma possível condenação. Essas pessoas terão uma espada sobre suas cabeças por um bom tempo, até que consigam (ou não) provar sua inocência.

Circulam em nossa Capital muitos veículos com fotos dos envolvidos, candidatos a vários cargos eleitorais, com a inscrição “perseguidos”. Não deixam de ter uma certa razão; afinal, disse hoje o presidente Lula: “Quando tem roubo a gente pega. Vocês viram o que aconteceu no Amapá. Só tem um jeito de um bandido não ser preso nesse País, é não ser bandido. Porque se for bandido e a gente descobrir, a gente pega”. (http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/09/lula-cita-prisao-de-governador-do-ap-e-diz-que-todo-bandido-e-preso.html)

De um lado, é vergonhoso que nosso Estado apareça na mídia como um feudo entregue à ambição dos que deveriam zelar pelo bem público. Nenhum cidadão de bem se sente feliz em ver as maiores autoridades de seu Estado recolhidas a um cárcere. Por outro lado, é salutar observar que as palavras de Cristo continuam se cumprindo, quando Ele nos assegurou que nada há encoberto que não haja de ser descoberto, nem oculto que não haja de ser conhecido (Mt. 10.26).

O triste é vermos alguns evangélicos (?) defendendo incondicionalmente alguns dos envolvidos, usando até o nome de Jesus. A justiça dos homens é falha, mas é a única que temos no momento, por isso não podemos nos antecipar às conclusões do STJ. Escreveu o Apóstolo Pedro (2ª Pe, 2.18-20) “Porque, falando palavras arrogantes de vaidade, nas concupiscências da carne engodam com dissoluções aqueles que mal estão escapando aos que vivem no erro; prometendo-lhes liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção; porque de quem um homem é vencido, do mesmo é feito escravo. Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, ficam de novo envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior que o primeiro”.

Uma eleição que estava uma verdadeira “chatice” agora sofre uma reviravolta, e o resultado é uma incógnita: conseguirão os presos temporários reverter o desgaste político que sofreram junto à população ? O que é bom vai continuar ? (afinal, podem existir outros esquemas de desvio de verbas públicas, quem sabe uma “Pés Limpos”, uma “Cabeça Limpa” engatilhados). Vamos esperar para ver.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Salmo 23 (versão Teologia da Prosperidade)

1- Sou o Senhor do meu Pastor, tudo para mim abundará!
2- Deitar-me faz em tapetes persas. Guio mansamente meu carro importado, tranquilo!
3- Refrigero meu corpo com ar condicionado. Guio-me pelas veredas do sucesso, por amor ao meu próprio nome.
4- Nunca andarei pelo vale da sombra da morte. Nunca temerei mal algum, pois rejeito a correção da vara e do cajado na minha vida.
5- Encho a minha cabeça com heresias e Ele é obrigado a transbordar meu cálice com champagne francesa (... é direito nosso, é nossa herança...)
6- Certamente que a prosperidade e a saúde me seguirão todos os dias da minha vida, pois determinarei a bênção por longos dias.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

É TEMPO DE DANÇAR ?



Quando Deus criou o homem e a mulher, foi para ter comunhão com eles. Deus nos chamou para servi-lo, para fazer a sua obra, e também para termos comunhão com ele. E adoração nada mais é do que ter comunhão com Deus. A adoração começa em nossos corações, em nosso espírito, e se espalha pela nossa alma e chega até o nosso corpo. Podemos adorar a Deus com nossas palavras, com nossas ações, com nossos recursos financeiros, com nossos conhecimentos, com nossos estudos, com nosso trabalho secular. Por isso o Salmista escreveu: "tudo aquilo que há em mim bendiga o seu santo nome"

Uma das maneiras mais comuns de adorarmos a Deus é com louvor, é com música. A música que a pessoa gosta de ouvir para se entreter, em sua casa, em seu veículo, é uma coisa, cada um ouve o que quiser. Agora, a música que será usada no templo, no culto de adoração a Deus, é outra coisa.

A música possui três partes: melodia (os sons da voz e dos instrumentos), harmonia (a combinação dos sons) e ritmo (as batidas que dizem se é rápida ou lenta). É como o ser humano: corpo, alma e espírito. O corpo está atrelado ao ritmo; a harmonia está ligada à alma; e a melodia está ligada ao espírito. Então, a maneira mais certa de ouvir uma canção é com o espírito, pois só assim a pessoa consegue realmente entender a música. E isso só é possível quando não colocamos o ritmo em primeiro lugar. O estilo musical apropriado para o cântico de adoração é o que tem como essência a melodia, pois é ela que se relaciona com o espírito. Existem estilos musicais cheios de agressividade e barulho, que balançam só o corpo, e não o coração, porque são ritmados demais.

O verdadeiro louvor faz a pessoa sentir uma alegria diferente, e às vezes até mesmo a vontade de saltar, se mexer, erguer os braços, até mesmo se movimentar com o corpo, mas tudo sem nenhuma necessidade de produção artística ou coreográfica. É algo espontâneo.

Infelizmente, tudo aquilo que Deus faz, o Inimigo das nossas almas e o próprio ser humano procuram corromper e desvirtuar. Hoje em dia, muitas canções que se dizem ser de adoração tem um ritmo arrastado, pesado, e uma batida repetitiva, quase hipnótica, que produz um clima de descontração, mas não de louvor a Deus.

Você pode perguntar: "onde está na Bíblia se pode usar esse ou aquele ritmo?". Ora, onde está na Bíblia que devemos rejeitar o cigarro? onde está na Bíblia que não devemos usar drogas? A Bíblia é um livro de promessas, de mandamentos e de princípios, então você não encontrará versículos proibindo o funk ou o rock pesado na igreja; por outro lado, existem princípios para saber o que agrada a Deus ou não (1ª Coríntios 6.12 “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”; 1ª Coríntios 10.23 “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas edificam”; 1ª Coríntios 10.31 “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus”; 1ª João 2.15“Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.”).

Quando alguém critica certas canções atuais, as pessoas dizem logo: “ah, fulano só gosta de hinos antigos, da harpa cristã”. Mas o que devemos valorizar é o que está de acordo com a Palavra de Deus, seja uma música de hoje ou de ontem. Infelizmente, hoje em dia são cada vez mais raras as músicas que falem de Jesus e sua obra redentora. Muitas delas só fazem sucesso porque as pessoas gostam do ritmo, e não tanto por causa das letras. E as letras às vezes são muito pobres, geralmente só falam de "sonhos", de triunfo do crente (não do triunfo de Jesus), falam que a nossa história será mudada, falam de anjos que sobem e descem, e outras novidades gospel e modismos neopentecostais.

É claro que figuras de linguagem poéticas podem ser usadas nos louvores, mas tudo tem limite. Afinal de contas, que Deus esquisito é esse que vem saltando pelos montes para incendiar a sua igreja, como canta uma canção muito conhecida ?
Não devemos ser radicais, mas também não devemos nos deixar guiar pela opinião da maioria. Afinal, o próprio Jesus perdeu uma multidão de seguidores quando pregou a verdade. Não devemos aceitar toda e qualquer manifestação, mas sim provar se os espíritos realmente são de Deus.

Grande parte da juventude, influenciada por cantores e grupos que não têm compromisso com a Palavra, valoriza mais o estilo em si do que o conteúdo da música.

Muitas canções gospel parecem um carro levemente acidentado, apenas com um arranhão ou um amassado na lataria, alguns deslizes na letra aqui e ali mas a maior parte pode ser aproveitada; outras, infelizmente, são caso de perda total, porque o estilo musical é dançante e inapropriado para o louvor na casa de Deus, e a letra não tem pé nem cabeça, não fala de Jesus e sua obra redentora.

Os hinos antigos, claro, também têm os seus defeitos, pois perfeição absoluta só encontramos na Palavra de Deus. Mas hoje a situação é muito pior, pois até o funk, o hip-hop e outros ritmos altamente sensuais são usados nas igrejas com a maior naturalidade.

Portanto, músicas que tem conteúdo duvidoso devem sim ser julgadas à luz da Palavra de Deus, e se não passarem na peneira devem ser colocadas fora do meio evangélico, pois todas as coisas nos são lícitas, mas nem todas nos convém.

Outra forma de adoração muito usada nas igrejas e comunidades evangélicas hoje em dia é a dança. No dicionário, dança significa: “movimentar o corpo em certo ritmo geralmente seguido de música. Ir de um lado para outro, balançar”. Já os profissionais da dança dizem que ela é uma forma de expressão artística coordenada, onde se expressam todos os seus sentimentos e emoções através dos movimentos corporais.
Se a dança fosse usada com seriedade e como arte para louvar a Deus, talvez pudesse ser um ótimo instrumento para adorar ao Senhor, mas como o ser humano é habilidoso em distorcer, em inovar, em inventar, o seu uso na adoração ainda traz uma série de problemas.

Uma canção muito popular entre os crentes de hoje diz “o tempo de dançar chegou; o tempo de cantar chegou”. É verdade que para o crente sempre é tempo de cantar louvores. Mas estamos num tempo em que devemos também chorar pelos pecados do mundo, clamar a Deus pela salvação dos perdidos, e buscar mais a Deus. Com a multiplicação da iniquidade nos últimos dias, é tempo de evangelizar, de vigiar, de guardar o que temos recebido do Senhor. Cantar é importante, mas isso não deve ser a nossa tarefa nº 1. As últimas palavras de Jesus antes de subir ao céu foram “ide por todo o mundo e pregai o evangelho”. Por isso, o certo seria dizer: "O tempo de pregar chegou".

Na verdade, o tempo de dançar não chegou e nunca chegará, porque ao longo da História, a dança nunca esteve presente na liturgia das igrejas cristãs. É claro que uma ou outra pessoa falava em “dança no Espírito”, e outras até cantavam, sem dançar, o corinho “Se o Espírito de Deus se move em mim, eu danço como Davi”. Mas por que agora esse assunto tão polêmico passou a ser tratado como coisa natural? Por que a dança, de uma hora para outra, se tornou tão necessária para um culto de louvor a Deus ?
A Palavra de Deus diz que há diversos ministérios, ou seja, o Espírito Santo atua de várias maneiras diferentes, mas em lugar nenhum trata do ministério da dança. O ministério da dança não foi um dos ministérios deixados por Jesus para sua Igreja. O ministério da dança não foi usado por nenhum dos apóstolos, que organizaram o culto ao Senhor conforme tinham aprendido com o próprio Jesus.

Muitas igrejas que tem seus grupos de danças estão deixando de pregar sobre a vinda de Jesus, sobre o pecado, sobre arrependimento e mudança de vida. Por que será ? Muitos que vão a uma igreja para dançar no espírito saem de lá dizendo foi tudo muito legal, mas ninguém fala que saiu impactado pela palavra, que vai mudar de vida, que vai ser um cristão melhor. Por que será ?

Algumas perguntas precisam ser feitas: afinal de contas, que edificação a dança traz para a Igreja ? Será que estamos glorificando a Deus dançando ? Realmente precisamos de dança na igreja ? Não seria melhor voltar à estratégia da Igreja Primitiva: oração, comunhão, ensino bíblico e pregação da Palavra ? Afinal, funcionou muito bem por vários séculos, e foi com essa estratégia que o Evangelho alcançou todo o Império Romano.

Interessante que a maioria dos ministérios de dança é formado só por mulheres, às vezes com roupas coladas ao corpo, curtas, decotadas e transparentes. Fica meio difícil adorar a Deus desse jeito. Devemos adorar a Deus com nossos corpos sim, mas nos apresentando como sacrifícios vivos ao Senhor, como lemos na carta de Paulo aos Romanos, capítulo 12, versículo 1º.

Nessas horas muita gente lembra a dança de Miriã, irmã de Moisés, depois do povo judeu atravessar o Mar Vermelho. Só que ninguém lembra que depois disso ela nunca mais foi usada pelo Espírito de Deus para profetizar, ficou enciumada e tentou derrubar seu irmão Moisés da liderança do povo, por isso Deus teve que castigá-la com uma semana de lepra.

Aliás, por falar em Moisés, o grande profeta nunca dançou, mas em compensação ele adorou a Deus com um cântico espiritual que ficou registrado lá no céu (Ap 15v3).
Muita gente também lembra a dança do rei Davi quando trouxe a arca da aliança para Jerusalém. Mas é interessante que a Bíblia relata que o rei Davi organizou escalas de porteiros, de cantores, de músicos, de sacerdotes e de levitas para o culto a Deus, mas não falou nada sobre a dança, nem organizou escalas de levitas bailantes. Se a dança era tão importante para o serviço do culto a Deus, porque ele não cuidou disso ?

É bom lembrar também que os profetas de Baal dançavam e até profetizavam para que o deus deles respondesse, só que não aconteceu nada. Mas quando Elias chamou todo o povo, ele mostrou que adoração verdadeira é bem diferente daquela que os profetas de Baal apresentaram, Elias orou, não dançou, Deus mandou fogo do céu, e os profetas dançarinos foram mortos pelo povo.

É claro que podemos aceitar as coreografias, feitas aqui e ali, em ocasiões especiais, com todo um preparo cuidadoso. Se forem bem feitas, podem até passar uma excelente mensagem. Eu pessoalmente lembro-me de duas feitas coreografias pelos jovens da UMADMA (União de Mocidade da Assembléia de Deus em Macapá) há alguns anos atrás com o hino 212 da Harpa Cristã e com a canção “Soldado ferido”, do cantor Júnior, e foram coreografias que mostraram muito bem como é o combate do cristão, e como precisamos ajudar os fracos na fé. Mas as exceções não devem se transformar em regra.

1ª Coríntios 6.20 diz que devemos glorificar a Deus com o corpo, mas isso não quer dizer dançar. Qualquer pessoa com um pouco de inteligência vai entender nesse versículo que glorificar a Deus com o corpo significa não pecar contra o Senhor por meio do corpo.

A dança no culto não é uma questão cultural, como muitos pensam. Não é porque o povo brasileiro tem samba no pé que estamos autorizados a sambar na casa de Deus. A cultura e os costumes não são maiores que o Evangelho, muito pelo contrário. A dança no culto a Deus não é questão de cultura! No templo a Deus NUNCA houve dança! Não se deve confundir cultura com adoração.

Muitas pessoas dizem: “Ah, mas eu quero dançar, gosto de fazer isso e sinto de que Deus vai receber”. Bom, é perigoso se deixar levar por sentimentos, pois a Bíblia diz no Livro do Profeta Jeremias (17.9) que “enganoso é o coração”. O apóstolo São Paulo disse: "Eu SEI em quem tenho CRIDO", ele não disse “eu sinto em quem tenho crido”. E João, que muitos chamam de apóstolo do amor, era também o apóstolo da CERTEZA. Por diversas vezes nas suas cartas ele disse: "SABEMOS", mas poucas vezes disse “sentimos”. Todos nós sentimos, mas isso não é o jeito de saber o que é certo e errado. Paulo sentiu que devia pregar na Ásia e na Bitínia. Estava errado! Davi sentiu que deveria construir o Templo. Errou! Sentir faz parte da vida, mas quanto ao que oferecemos a Deus, devemos SABER o que estamos fazendo. Devemos ter CERTEZA de que estamos agradando a Deus. E só a Bíblia têm a resposta.

Então, quem quiser que dance e assuma a responsabilidade diante de Deus. Mas não venha dizer que o culto precisa de danças para agradar ao Senhor. As reuniões evangélicas sobreviveram sem danças durante muito tempo, e Deus sempre operou conversões, milagres e maravilhas. Por que somente agora vamos usar isso ? Será que o Evangelho de Cristo ficou tão fraco e chato que precisamos enfeitar um pouco para que os pecadores venham a Jesus ? Basta lembrar que as milhares de almas que recentemente se decidiram a Cristo na Cruzada do Pr. Silas Malafaia vieram pela pregação da Palavra de Deus, não por causa de alguma dança.

Várias igrejas estão aceitando as danças para preencher um espaço vazio, porque lhes falta o principal: salmo, doutrina, revelação, língua e interpretação (1 Co 14.26). Um culto de verdade pode passar muito bem sem dança, tanto que passou por séculos. Mas um culto de verdade não pode ficar sem a genuína manifestação do Espírito, sem a Palavra de Deus e os verdadeiros louvores.

Só precisamos entender que o culto é para Deus, e não para agradar pessoas; Só precisamos entender que a maneira de Deus falar, no culto, não é por meio de danças, e sim pela Palavra.

Existe até quem diga que dançar é bom para emagrecer. Claro que qualquer crente pode fazer isso, basta se inscrever numa academia de dança e entrar em forma ao som do tango, do samba ou do tecno-brega; mas o templo de Deus não é uma academia de ginástica.

A verdade é que não existe um versículo sequer na Bíblia nos mandando ou nos autorizando a dançar na casa de Deus! Os dois únicos textos que poderiam supostamente ser usados como incentivo à dança estão nos Salmos 149 e 150. Mas essas passagens não tratam do culto evangélico. Aliás, alguns estudiosos da Bíblia até defendem que a palavra que nós traduzimos como “dança” na verdade significa “flauta” ou “harpa”. Afinal de contas, a Bíblia foi traduzida para várias linguagens, e sempre tem ocorrido aqui e ali alguns erros de tradução que são constantemente corrigidos e revisados.

Dançar agrada ao dançarino que balança o corpo (e não o coração); dançar agrada quem assiste à "apresentação", mas definitivamente dançar não edifica a fé de ninguém.
É bem verdade que muitos líderes evangélicos tem permitido e incentivado o uso de danças nas reuniões de suas igrejas e comunidades. Mas isso acontece porque, algumas pessoas, na vontade de quebrarem paradigmas, acabam é removendo os marcos antigos, e assim dando lugar a doutrinas de homens e ensinos de espíritos enganadores Na verdade, o que quebra paradigmas é o Espírito Santo de Deus, e depois os frutos que as pessoas dão, ou seja, os testemunhos de uma vida cristã santificada. Pessoas santas e ungidas produzirão frutos bons, danças santas e ungidas! Quando isso acontece, as resistências vão caindo e, em vez de opositores, vamos ganhando intercessores! Afinal, não é por força, nem por violência, mas pelo Espírito de Deus.

Não é porque líder fulano ou sicrano apóia a dança que somos obrigados a acompanhar sua opinião. Afinal de contas, a autoridade ministerial e a posição eclesiástica não estão acima da Palavra de Deus. As Sagradas Escrituras olham para todos nós de cima para baixo. Não é porque o “anjo da igreja” apóia determinado tipo de comportamento que devemos nos conformar e apoiar também. Aliás, por falar em “anjo da igreja”, no livro do Apocalipse foram escritas 7 cartas para 7 igrejas, palavras diretas de Deus para os líderes daquelas congregações, e quase todos foram repreendidos por Cristo por aceitarem determinadas situações em suas igrejas: Éfeso deixou o primeiro amor, Pérgamo tolerava nicolaítas e seguidores de Balaão, Sardes tinha obras imperfeitas Tiatira tolerava a falsa profetiza Jezabel, e Laodicéia era morno e arrogante. Somente o anjo da igreja de Filadélfia recebeu 100% de louvor. Então, não importa se quem apóia determinado costume ou comportamento é o pastor, o profeta, o apóstolo, o patriarca, o paiapóstolo ou quem quer que seja. Se não estiver de acordo com a Palavra de Deus, DEVEMOS REJEITAR, como bem aconselhou o apóstolo Paulo: “ainda que um anjo do céu, ou nós mesmos, vos anuncie outro evangelho, seja maldito”.

Tudo isso que temos falado são sinais da volta de Cristo. Conforme os tempos se findam, mais o engano e a mentira irão penetrar no meio do povo de Deus, e mais os cristãos verdadeiros devem ficar alertas.

É interessante que as pessoas que defendem essas novidades neopentecostais sentem a necessidade constante de estar reafirmando seus pontos de vista para o povo. Se realmente fosse algo de Deus, não haveria necessidade disso, porque o próprio Espírito Santo certamente tocaria nos corações dos crentes para aceitarem aquela nova unção, aquela nova visão.

Para quem não concorda, a saída não é se conformar ou sair de uma igreja para outra, até porque não devemos nos conformar com os erros que existem em nossas congregações e comunidades, devemos é corrigi-los, pois a igreja de Cristo dever ser a coluna e a firmeza da verdade.

Entendemos e respeitamos quem tem um ponto de vista diferente, mas a Palavra de Deus nos ensina a fazer tudo com decência e ordem. Aliás, é engraçado observar que muitas pessoas que defendem um novo estilo de adoração tratam para os crentes mais conservadores como se fossem frios, secos, sem unção, etc.

Se querem respeito, respeitem a maneira do outro adorar a Deus, mesmo que sem palmas, sem danças e sem retetés. Mostrem que realmente a adoração extravagante, a nova unção e a visão do Reino realmente transformaram suas vidas.

É errado dizer que não devemos questionar nem perguntar. Afinal, o espiritual discerne bem tudo. Devemos discernir o que é certo e o que é errado.

Podemos dar várias interpretações para o que quisermos, mas a resposta da Bíblia é UMA só. Não queremos nos arvorar em donos da verdade, pois somente a Bíblia é a dona da verdade. Então por que cada um deve ter a sua resposta, se somente a Palavra de Deus tem a resposta certa?

Precisamos decidir: O que vamos fazer no templo, louvar a Deus ou buscar diversão ? Sinceramente, quem quiser diversão deve procurar isso em outros lugares, pois o templo é lugar de oração, louvor e ensino da Palavra.

Concluímos que na Bíblia de fato não há nenhum apoio à introdução de danças no culto a Deus. Disso podemos ter certeza, que é maior que qualquer sentimento que possamos ter. Afinal de contas, nosso culto deve ser RACIONAL, e não emocional.

Vamos prestar atenção à manfeira que estamos louvando e adorando a Deus, e em vez de uma intimidade forçada, teremos uma verdadeira comunhão com Ele.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

PROFETADAS




“PROFETADA” Nº1

No meio de um desses “cultos de poder” um pastor começa a profetizar e, no meio do falatório, vira para um irmão e diz:
— Seu útero será curaaaadooooo!
O irmão, assustado, humildemente responde:
— Mas... pastor? Eu não tenho útero!
O pastor, num arroubo de superpoderes e revelação, conclui:
— Creeeeiaaaa... e teráááás!!!

“PROFETADA” Nº 2
Numa reunião de oração, o “homem de deus”gritou para uma irmã da platéia: Eis que te digo, minha serva, que a tua prova passará, e que o Senhor já tem preparado um varão para ti.
Pena que o “ungido” não tinha percebido a aliança na mão dela.

“PROFETADA” Nº 3
Noutra “vigília do óleo da unção”, o pregador sentencia:
- Alguém aqui dentro tá com espírito de homossexualismo.
Um irmão, cheio de sinceridade, levantou a mão, mas levou uma “lambada” do “ungido:
- Não, não é você. É uma mulher.

“PROFETADA” Nº 4

"IRMAO!! VC TEM CARRO??!”, grita o “homem de deus”.
"Tenho...", responde a pobre ovelha.
"ENTAO DEUS TE DARÁ LIVRAMENTOOOO".

Que Deus é esse que precisa confirmar algo antes de mandar a profecia ???.


Por que acontecem essas e outras ? com palavra, Oséias, o profeta de Deus (esse sim):
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (4.6)

Qual a cura ? Escola Bíblica, Culto de oração e doutrina, jejum e vida de santidade.


(P.S: se você tem mais algum “revelamento” ou “visagem” para contar, fique à vontade).

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O PODER DO SOFRIMENTO

Diariamente vemos notícias de sofrimento: enchentes, terremotos, furacões, crianças violentadas, mulheres estupradas, pais de família que vão para o trabalho e não voltam, filhos mortos diante dos olhos de seus pais. O mundo é cheio de sofrimento. Mas será que esse sofrimento todo é em vão ? Será que vale a pena ? Será que tem nenhum proveito ?

Ao longo das páginas da Bíblia Sagrada, vemos o problema do sofrimento tratado por muitos personagens bíblicos. O patriarca Jó levantou a questão: porque o justo e o inocente sofrem ? A resposta divina dada a ele não responde como gostaríamos, mas consola: podemos ter certeza que, se formos fiéis a Deus, todo sofrimento que passarmos estará debaixo do controle e do consentimento de Deus, e terá um propósito definido e glorioso, confirmando que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.

O levita Asafe, nos salmos 37 e 73, trata de novo do problema, pois ele sentiu na pele as dúvidas e as inquietações que nos assombram quando vemos justos e inocentes sofrendo terrivelmente, enquanto os corruptos e sem caráter gozam a vida tranquilamente. Nesses dois salmos, a Bíblia deixa claro que haverá um acerto de contas, nesta vida e na futura, onde todo pecado cometido receberá o justo castigo, e que toda a bondade e justiça receberá a recompensa da s mãos do Criador.

O próprio Mestre da Galiléia, Jesus de Nazaré, sofreu terrivelmente desde o seu nascimento, a pondo de, já adulto, dizer que as raposas tinham suas tocas, os pássaros tinham seus ninhos, mas o Filho de Deus não tinha onde descansar sua cabeça. Além disso, Jesus deixou bem claro que as pessoas que quisessem segui-lo deveriam estar preparadas para sofrer, pois não iria ser nada fácil viver de acordo com seus ensinamentos. Em Mt. 10.22, Jesus lembrou que “sereis odiados de todos por causa do meu nome, mas aquele que perseverar até o fim, esse será salvo”, ele disse ainda em João 16.2 que iria chegar a hora em que quem matasse um cristão pensaria estar prestando um serviço a Deus, exatamente o que muitos radicais islâmicos pensam quando colocam bombas em igrejas pelo mundo afora.

O Jesus dos Evangelhos, o Cristo que ajudou as pessoas em seus sofrimentos, também sofreu muito, mesmo sendo inocente. Jesus pagou nossa salvação com sua vida, e por causa disso, ao longo dos séculos, milhares e milhares de pessoas tem dado suas vidas pela fé em Cristo.

Mateus, o escritor de um dos evangelhos, depois de converter à fé cristã a Etiópia e todo o Egito, foi traspassado por uma lança a mando do rei egípcio Hircano. Filipe, o santo apóstolo, depois de muito ter trabalhado entre nações bárbaras pregando-lhes a palavra da salvação, no fim padeceu em Hierápolis, cidade da Frígia, onde foi crucificado e apedrejado até a morte. Lá mesmo foi sepultado, juntamente com suas filhas. Todos os apóstolos foram martirizados de formas terríveis. Os tipos de morte eram tão diversificados quanto terríveis.

Tudo o que a crueldade da invenção do homem pudesse conceber para castigar o corpo humano era posto em prática contra os cristãos – açoites e flagelos, estiramentos, dilacerações, apedrejamentos, lâminas de ferro em brasa aplicadas aos seus corpos, profundas masmorras, rodas de tortura, estrangulamentos nas prisões, os dentes de animais selvagens, grelhas, patíbulos e forcas, os arremessos sobre os chifres de touros. E contudo, apesar de todas essas contínuas perseguições e castigos horríveis, a Igreja crescia a cada dia, profundamente enraizada na doutrina dos apóstolos e dos homens apostólicos e abundantemente regada pelo sangue de santos.

Em nossos dias, os sofrimentos dos cristãos continuam pelo mundo afora. Em 13 de junho, rebeldes maoístas no Nepal atacaram vários cristãos que estavam em uma reunião de oração. Os rebeldes mandaram parar a reunião. O pastor os ignorou e continuou com as orações. Então, eles o agrediram e depois atacaram as outras pessoas. Os rebeldes também queimaram Bíblias e hinários durante o ataque. Em 04 de maio, os membros do grupo extremista islâmico al-Shabaab mataram um líder da igreja em Xarardheere, Mudug, região da Somália, país da África. Eles saíram à procura de inimigos de casa em casa, até chegarem na casa de Yusuf Ali Nur, 57 anos, e como suspeitaram que ele fosse um cristão, então atiraram várias vezes à queima-roupa, matando-o. Yusuf era líder e professor numa igreja subterrânea e não tinha essa identidade revelada. Ele era casado e pai de três filhos com idades de 7, 9 e 11 anos. Son Englang, 35, pastor no vilarejo de Mallasi, no estado de Assam, foi morto e o seu corpo cremado sem ser previamente identificado e antes mesmo de sua família ser informada sobre a sua morte. Os familiares souberam do crime quando viram uma foto do corpo em um jornal. O corpo do pastor foi encontrado na rodovia 37, no dia 20 de maio. Ele tinha marcas indicando que suas mãos foram amarradas antes de ser baleado. Na manhã do dia anterior ele fora seqüestrado na manhã do enquanto ia de bicicleta fazer compras. A polícia local levou o corpo para o hospital, onde ele foi cremado sem antes ser identificado oficialmente.

Qual o crime dessas pessoas ? Servir a Deus e crer em Jesus como seu Salvador. Quando nos tornamos mais parecidos com Cristo, quanto mais nos unimos a Ele, isso quer dizer também ser mais parecido com Ele em seu sofrimento.

Rm 16.16: “O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus; e, se somos filhos, também somos herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados”. A glória cristã está ligada ao sofrimento.

A obra redentora de Cristo alcançou inicialmente apenas os 12 apóstolos, mas ainda no primeiro século alcançou todo o Império Romano, e hoje no mundo inteiro encontramos pessoas que professam o nome de Jesus. Mas como 12 se tornaram milhões ? Como a Igreja de Cristo cresceu tanto ? A resposta é: sofrimento.

A tribulação e o sofrimento não são para nos entristecer, mas sim para nos fazer crescer espiritualmente, como escreveu o Apóstolo Paulo (Rm 5.3-5): “sabendo que a tribulação produz a perseverança, e a perseverança a experiência, e a experiência a esperança; e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” A recompensa virá nas mansões celestiais, onde aí sim receberemos 100 vezes mais, como o próprio Jesus disse. “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cru z e siga-me” (Mt. 16.24).

Jesus sofreu para mostrar a glória de Deus. Você está disposto a unir-se a ele no sofrimento para revelar a glória de Deus ? Está disposto a abrir mão de suas vontades, de seus desejos, até mesmo de sua vida, para anunciar o Evangelho de Cristo e glorificar a Deus entre os homens ?

Infelizmente para muitas pessoas, a resposta é não, por acreditarem num outro evangelho, um evangelho de prosperidade e vitória nesta vida, um evangelho onde Deus é um entregador de benção e Jesus é somente um despachante, e o espírito Santo não passa de um moleque de recados. Esse evangelho, tão aceito pelas pessoas hoje em dia, procura trazer o céu até a Terra em forma de riquezas, cargos e bençãos materiais de todos os tipos e tamanhos.

Mas o evangelho da prosperidade não irá fazer ninguém louvar a Jesus, irá fazer as pessoas louvarem a prosperidade. É claro que seria muito bom um Jesus que me desse um carro, um casa, um bom casamento, um bom emprego. Será que não é essa vida boa que Deus que que tenhamos ? errado ! Nós estamos muito errados em esperar em Cristo somente nesta vida, pois aí seremos as pessoas mais miseráveis de todas (1ª Co 15.19).

Lembremos as palavras do Apóstolo São Paulo, que declarava (Colossensses 1.24). Agora me regozijo no meio dos meus sofrimentos por vós, e cumpro na minha carne o que resta das aflições de Cristo, por amor do seu corpo, que é a igreja. Será que somos melhores do que Paulo, para não sofrer ?

Tiago recomendou à Igreja (5.10):” Irmãos, tomai como exemplo de sofrimento e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. Eis que chamamos bem-aventurados os que suportaram aflições. Ouvistes da paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu, porque o Senhor é cheio de misericórdia e compaixão.”

Lemos ainda na Bíblia que quando os líderes religiosos judeus, tendo chamado os apóstolos, os chicotearam e mandaram que não falassem em nome de Jesus, e os soltaram; e eles saíram alegrando-se de terem sido julgados dignos de sofrer afronta pelo nome de Jesus. E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus, o Cristo. As chicotadas, em vez de calar os apóstolos, os incentivavam a prosseguir na pregação do evangelho. Será que podemos fazer como eles ?

Finalizamos lembrando as palavras do apóstolo Pedro, que alguns consideram o primeiro papa (1ª Pe 3.17) “Porque melhor é sofrerdes fazendo o bem, se a vontade de Deus assim o quer, do que fazendo o mal”.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

CRUZADA SILAS MALAFAIA EM MACAPÁ





A semana iniciou nadando na benção resultante do evento capitaneado pelo Pr. Silas Malafaia em nossa cidade Macapá-AP. Dois dias de louvor e adoração a Deus, e pregação da Palavra de Cristo.


Os cantores Dayan Alencar (NA FOTO) Jairinho, Eyshila, Nani Azevedo, Danielle Cristina e Rachel Malafaia apresentaram louvores bem escolhidos, com letras remetendo à obra redentora de Cristo, às vitórias que Jesus nos concede por sua graça e misericórdia e à nossa missão como Igreja militante.

A pregação do Pr. Silas Malafaia foi totalmente voltada para a pessoa de Cristo, sua obra expiatória e salvífica, e à mudança de vida resultante da conversão a Jesus. Ao final de cada preleção, não foi esquecido o apelo para os não-evangélicos e também para os “filhos pródigos”, as ovelhas afastadas do rebanho (PARTE DO CULTO QUE INFELIZMENTE MUITAS IGREJAS NÃO LEMBRAM MAIS). Centenas de pessoas decidiram-se por Cristo, em um total de cerca de cinco mil; segundo falou de viva voz o Pr. Jabes Alencar, apresentador da programação, e confirmado no site do pregador (http://www.ministeriosilasmalafaia.com.br/) foi a maior colheita de almas até agora, em todas as 10 cruzadas já realizadas.

No último dia, após a pregação e o apelo, não faltou a apresentação final em conjunto de todos os cantores, numa verdadeira apoteose de louvor e adoração que, certamente, recarregou as baterias espirituais de muita gente.

Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário se fizeram representar através de diversas autoridades locais, que receberam oração do Pr. Silas, como forma de abençoar todo o Estado do Amapá. Tudo com a devida ordem e decência, sem pronunciamentos de caráter eleitoral em desacordo com a lei, e sem favoritismos. Muito equilíbrio e sobriedade: que todos os líderes aprendam a fazer o mesmo em suas igrejas e comunidades. Afinal de contas, autoridade é para legislar, executar a lei ou julgar conforme a lei, não para pregar.

Esperemos que as diversas igrejas, ministérios e comunidades evangélicas do Amapá promovam um trabalho intenso de discipulado, a fim de que essas preciosas almas que voltaram ao rebanho de Cristo permaneçam firmes nos caminhos do Senhor e rendam muitos frutos espirituais até a volta de Jesus.

Merece elogio também a estrutura física do evento, com 3 (três) telões que proporcionaram um ótima visibilidade mesmo a quem se encontrava bem distante do palco, aliás de excelente tamanho. O som foi de uma qualidade poucas vezes vista em nosso Estado, e com a ajuda do vento chegou até bem longe do estacionamento do Sambódromo, local em que se realizou a Cruzada. A organização das tendas e barracas destinadas a atendimento médico, ponto de apoio, tribuna para os obreiros e famílias, além de venda de Cds, DVDs, livros e Bíblias. Neste último ponto, vale destacar que os preços estavam excelentes e o material de ótima qualidade.

Nem mesmo o cuidado as necessidades físicas da multidão foi esquecido, com a colocação de diversos banheiros químicos, que atenderam muito bem a uma demanda estimada de 90 mil pessoas.

Não se registraram incidentes de ordem policial, pois o povo de Deus é ordeiro e pacífico.

Vale destacar ainda que no primeiro dia do evento (21 de agosto), realizou-se um show da cantora Ivete Sangalo bem ao lado do local da cruzada. No entanto, longe de representar um problema (pois os horários eram diferentes), ainda ajudou para que a mensagem de Cristo alcançasse mais pessoas: com efeito, muita gente que chegou mais cedo para o show ouviu a pregação e decidiu-se a Cristo.

Deus permita que as igrejas, comunidades e ministérios evangélicos do Amapá percebam que a Igreja de Cristo precisa sair das 4 paredes dos templos e realizar mais cruzadas e cultos ao ar livre, como muito me recordo na minha infância e juventude. A final, ainda continua de pé a ordem de Jesus de ir aos campos e valados em busca das ovelhas desgarradas.



De resto, espero que a mensagem cristocêntrica, equilibrada, contundente e atual tal como exposta pelo Pr Silas Mafalaia sirva de exemplo a muitos obreiros e líderes, que aprendam como se deve pregar o Evangelho de Cristo: sem “retetés”, sem enrolações ou apelações, sem necessidade de experiências espirituais esquisitas e duvidosas. Tomara que muitos pregadores de terras tucujus ponham a mão na consciência e preparem pregações e mensagens melhores, levando ao povo o verdadeiro Evangelho de Cristo.

Que Deus continue abençoando o Pr. Silas Malafaia e seu ministério, e por meio dele alcançado muitas almas para o Reino dos Céus.

Seguem abaixo os links de dois videos do evento.

http://www.youtube.com/watch?v=ltS7-4WOBwM
http://www.youtube.com/watch?v=t49lSYyVUdU